Solenidade do PAC vira ato de desagravo à Dilma em BH

A solenidade de assinatura de novas ordens de serviço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em Belo Horizonte serviu como ato de desagravo à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, apontada como ligada à elaboração de um suposto dossiê com as despesas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Durante seu discurso, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reiterou que Dilma é mãe do PAC.

Agência Estado |

"O PAC só funciona porque essa mulher toma mais conta do PAC do que toma da filha dela", declarou.

Ao agradecer as manifestações de apoio e cumprimentar as autoridades presentes no palanque, Dilma cometeu um ato falho ao chamar a solenidade de "comício". "Quero dirigir especial cumprimento às mulheres que estão animando esse comício", afirmou. Durante pronunciamento, o prefeito da capital mineira, Fernando Pimentel (PT), fez uma defesa veemente da ministra. "Nós confiamos na ministra Dilma e somos solidários a ela contra o vento da calúnia e a maré das intrigas que às vezes tentam impedir o trabalho de gente séria. Leve de Minas Gerais, da sua terra natal, a certeza de nosso apoio e nossa amizade", disse Pimentel.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG