SANTA CATARINA - Os dez soldados e um sargento do Exército flagrados no domingo furtando donativos para vítimas das enchentes de Santa Catarina, em um dos galpões do Parque Vila Germânica, em Blumenau, foram afastados no mesmo dia da denúncia, segundo o general Manoel Luiz Narva Pafiadache, da 14º Brigada de Infantaria Motorizada do Exército.

O inquérito policial militar já foi aberto e os 11 soldados, do grupo de 13 que estava no local, estão agora à disposição do oficial encarregado da sindicância, que tem prazo de até 20 dias para ser concluída, segundo o general.

A sindicância vai apurar se houve transgressão disciplinar e as penas, de acordo com o grau de responsabilidade de cada um, vão de uma advertência até a expulsão do Exército. A Polícia Civil também já instaurou inquérito na tarde de ontem para investigar as pessoas que aparecem nas imagens retirando produtos do pavilhão de Blumenau sem autorização. De acordo com o responsável pelas investigações, delegado Henrique Stodiek, as imagens sem cortes da RBS TV, que exibiu a reportagem sobre o furto por voluntários e soldados, já foram solicitadas. "Após ver a reportagem, vou tomar os depoimentos do repórter e de um dos voluntários que denunciaram o furto", explica.

A prefeitura de Blumenau e a Defesa Civil do Estado já tomaram algumas providências para evitar novos furtos de donativos. Entre elas está a contratação de uma empresa de logística, que deve começar a atuar até a próxima quinta-feira, para assessorar a coordenação dos trabalhos da central de donativos, desde a chegada das doações até a distribuição dos materiais para as prefeituras. Outra medida da Defesa Civil do Estado é a locação de um novo galpão, mais amplo, para facilitar a distribuição. O local deve ser escolhido em 10 dias, e dará preferência a um local próximo a fácil acesso para os caminhões.

Leia também:

Leia mais sobre: Santa Catarina

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.