Sol, protetor e cuca fresca

Sol, protetor e cuca fresca Por Deborah Bresser São Paulo, 17 (AE) - Não é frescura. Usar protetor solar virou uma questão de saúde.

Agência Estado |

A radiação ultravioleta é a principal responsável pelo câncer de pele, que atinge índices epidêmicos no verão brasileiro. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia (www.sbd.org.br), que anualmente realiza campanhas de detecção da doença, cerca de 10% das pessoas que comparecem aos postos de atendimento têm diagnóstico positivo, coisa de 3.100 indivíduos entre 32.446 atendidas. Contra o avanço da doença, o mais importante é a prevenção primária. Evitar que o câncer ocorra pressupõe o uso contínuo de protetor solar, roupas e chapéus.

Esqueça essa conversa de que a beleza no verão está associada à uma pele bronzeada, tostadinha pelo sol. Para a síntese de vitamina D, bastam apenas dez minutos de sol por semana, mesmo assim, com protetor solar. Escolha um com proteção contra os raios UVA e UVB. Reaplique o filtro a cada duas horas. Se houver transpiração excessiva ou imersão prolongada na água, reaplique antes.

Mormaço também exige proteção. Os cuidados devem ser adotados a qualquer hora, pois a radiação UVA (que causa envelhecimento e melanoma) atinge a Terra durante todo o dia. Já a radiação UVB (responsável pelos carcinomas e envelhecimento) incide das 10h às 15h.

Pessoas de pele, olhos e cabelos claros, ruivas e com sardas, que sempre se queimam e nunca bronzeiam, têm mais risco de desenvolver a doença, mas ninguém está livre. Por isso, salve sua pele. Em creme, gel ou spray, os protetores solares são imprescindíveis. Confira os lançamentos para o verão que vem aí:

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG