Sobrevivência de marcas europeias da GM depende de ajuda estatal

Por Jan Christoph Schwartz e Victoria Klesty HAMBURGO/ESTOCOLMO (Reuters) - As marcas europeias da General Motors estão perto do colapso, a alemã Opel precisa de substancialmente mais recursos e a Saab tem sido citada como pedindo 590 milhões de dólares do governo da Suécia para se reestruturar.

Reuters |

Apresentando pedido de proteção contra credores nesta sexta-feira, a Saab informou que vai apresentar uma proposta de reorganização dentro de três semanas enquanto documentos judiciais indicam que a empresa estimou prejuízos em 2008 e 2009 em cerca de 3 bilhões de coroas suecas (340,1 milhões de dólares).

"A Saab vai formular sua proposta de reorganização, que vai incluir a concentração de atividades de design, engenharia e manufatura na Suécia", informou a montadora em comunicado, acrescentando que a reformulação deve levar três meses e exigir financiamento independente.

Primeira montadora europeia a buscar auxílio estatal desde o início da crise, a Opel precisa agora de um total de 3,3 bilhões de euros (4,15 bilhões de dólares) em liquidez para sobreviver, afirmou uma fonte da companhia. A empresa já se voltou a Berlim com um pedido maior de recursos depois de ter requisitado inicialmente 1,8 bilhão de euros em garantias de empréstimos.

Uma rápida deterioração dos mercados europeus de veículos fez a Opel estimar que precisa de garantias de empréstimos de 2,5 bilhões de euros, informou a fonte.

Uma fonte no governo alemão informou que a Opel explicou que a situação pode se tornar dramática até março por conta da ameaça de insolvência.

Respondendo a um artigo do Spiegel, a GM informou que sua segunda maior marca depois da Chevrolet caiu vítima do colapso das condições do mercado que não podia ser previsto em novembro passado, como um forte enfraquecimento da libra e do rublo e mergulho das vendas na Espanha.

Enquanto isso, o diário financeiro sueco Dagens Industri publicou que a GM pode injetar 3,5 bilhões de coroas suecas (397 milhões de dólares) na Saab em troca por Estocolmo garantir um empréstimo de 5,2 bilhões de coroas à montadora.

A Saab não divulga lucro desde 2001, o que fez o guru de produtos da GM, Bob Lutz, dizer que a empresa está em "suporte de vida".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG