BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva procurou desvincular nesta terça-feira o uso de recursos públicos pelo MST nas invasões de terras. Um ato de barbárie não precisa de dinheiro, precisa apenas de falta bom senso, disse a jornalistas.

A oposição conseguiu aprovar uma CPI mista no Congresso para investigar a transferência de dinheiro público para o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) por meio de organizações não governamentais (ONGs).

"As entidades que pedem dinheiro para um órgão do governo têm que apresentar documentação, proposta e passa por um crivo. Têm direito ou não têm direito", afirmou o presidente.

No início do mês, Lula condenou ação do MST em uma fazenda no interior de São Paulo, qualificando o ato como "cena de vandalismo". Os integrantes do movimento foram acusados de destruir milhares de pés de laranja, além de danificar equipamentos.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.