Sobe para 84 o número de mortos por enchentes em Santa Catarina

FLORIANÓPOLIS - O número de mortos pelas enchentes em Santa Catarina chegou a 84, segundo informações da Defesa Civil. O Estado segue em alerta para o risco de deslizamentos, alagamentos e novas enchentes.

Redação com agências |

No Estado, 22.952 pessoas estão desabrigadas e os desalojados chegam a 31.087, totalizando 54.039 afetados diretamente. Os desabrigados são pessoas que tiveram que sair de suas casas e precisam da ajuda do Estado. Já os desalojados são pessoas que foram obrigadas a sair de suas casas por conta dos danos das chuvas, mas que não precisam de ajuda do Estado pois podem ir para casas de parentes ou amigos.

O Ministério da Justiça atendeu ao pedido do governador de Santa Catarina, Luiz Henrique Silveira, e vai enviar 46 homens da Força Nacional de Segurança para o Estado. Eles são especialistas em buscas e salvamentos e devem permanecer no local por pelo menos 20 dias. O grupo sai de Brasília, em aviões da FAB às 16h. Eles vão acompanhados de cães farejadores e ficarão à disposição da Secretaria de Estado de Segurança.

O governador do estado catarinense afirmou durante entrevista, nesta segunda-feira, que o Estado enfrenta a pior tragédia climática da história.  É uma crise climática que precisa de união de todos, disse Silveira, que já decretou situação de emergência no Estado. Para ele, a prioridade é o atendimento aos desabrigados e o resgate das pessoas que estão em áreas de risco.

De acordo a Defesa Civil do Estado, os municípios de Gaspar, Rio dos Cedros, Nova Trento e Camboriú, em Santa Catarina, declararam estado de calamidade pública por causa das fortes chuvas. Outros oito estão em emergência: Balneário de Piçarras, Canelinha, Indaial, Nova Trento, Penha, Paulo Lopes, Presidente Getúlio e Rancho Queimado.

Veja as cidades afetadas no mapa abaixo:


Veja o mapa ampliado


Em Blumenau, uma das cidades mais atingidas, 20 pessoas morreram e 150 mil estão sem energia elétrica. Ilhota também é uma das cidade com o maior número de mortos: são 15, segundo a Defesa Civil. Há oito municípios isolados. Estão sem contato com outros locais por conta de queda de barreiras ou de pontes os municípios de São Bonifácio, Luiz Alves, São João Batista, Rio dos Cedros, Garuva, Pomerode, Itapoa e Benedito Novo. Em Itajaí, o orgão pede doação de água potável com urgência.  

A Defesa Civil de Santa Catarina também trabalha com o conceito de "afetados" - mais de 1,5 milhão de pessoas -, que são todos aqueles que tiveram sua vida alterada de alguma maneira, seja porque o ônibus não podia passar ou porque o telefone não funciona, por exemplo.

As chuvas também causaram a ruptura de um tubo de gás entre as cidade de Luiz Alves e Gaspar e, por isto, o abastecimento de gás está interrompindo do município de Guaramirim até Rio do Sul.

Ajuda às vítimas

Duas contas correntes foram desponibilizadas desde de segunda-feira para receber doações em dinheiro, destinadas a compra de mantimentos para as vítimas da chuva. As contas são da Defesa Civil .

Helicópteros e botes a motor estão sendo utilizados ininterruptamente para resgatar pessoas, segundo a Defesa Civil. Os Estados vizinhos Rio Grande do Sul e Paraná participam das operações de resgate a partir desta segunda-feira, atendendo a um pedido do governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira (PMDB).

situação deve continuar nos próximos dias já que a previsão do tempo, de acordo com a Defesa Civil do Estado, é de mais chuvas para esta semana, principalmente no Litoral, Vale do Itajaí e Planalto Norte.

Na manhã desta terça-feira, o governo do Estado de São Paulo enviou dois helicópteros da Polícia Militar com nove policiais especializados em resgates para Santa Catarina. Na manhã de quarta-feira será enviado mais um helicóptero, este da Polícia civil. Segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, já foram enviados 65 homens e quatro cães treinados para auxiliar nas buscas.

Situação das rodovias

Além das diversas casas atingidas por deslizamentos de terra e da cheia de rios, muitas estradas do Estado estão interditadas por queda de barreiras e alagamentos. Veja aonde as rodovias estão fechadas para o tráfego:

  • SC 401, Km 14, Centro ¿ Norte da Ilha, queda de barreira, interditada
  • SC 431, Km 9 BR282 ¿ São Bonifácio, queda de barreira, interditada
  • SC 408, Km 0, Claraíba ¿ São João Batista, queda de barreira, interditada
  • SC 408, Km 0 e 5 - Brusque a São João Batista, queda barreira, interditada.
  • SC 302, Km 147,7 Lebon Régis ¿ BR 116, recup. Pista, interditada
  • SC 474, Km 45, BR 101 ¿ Massaranduba, queda barreira, interditada
  • SC 416, Km 30 - Jaraguá a Pomerode, queda de barreira, interditada, previsão liberação 3 dias.
  • SC 416, Km 50 - Pomerode a Timbó, queda barreira, interditada.
  • SC 413, Km 8, Luiz Alves, SC 474 (em pavimentação), queda barreira, interditada.
  • SC 466, Km 71, 150 Itá ¿ RS, deslizamento de pista, interditado (desvio Centro    Ita)
  • BR-101, KM 235 - Palhoça - MORRO DOS CAVALOS ¿ pista interditada. Desvio Enseada do Brito para veículos de emergências.
  • BR-101, Km 113 - Itajaí - pista interditda.
  • BR-101, Km - 12 ao 13 - Garuva - pista interditada.
  • BR-470, Km 41 e 46 - gaspar - pista interditada.
  • BR-282, Km 31 e Km 43 - Águas Mornas - pista interditada sentido norte/sul.
  • BR-376, Km 684 - garuva, pista interditada.
  • GUARATUBA/PR: KM 685 ¿  pista interditada. 

O trânsito está sendo feito por meia pista nas rodovias: SC-438, no quilômetro 137; SC-404, no quilômetro 3.300;  SC-438, no quilômetro 138; SC-430, no quilômetro 29;  SC-486, no quilômetro 14.

Estão alagados os quilômetros: 88, da SC-408; 5,19 e 35 da  SC-470; 5, 15,19, 20 e 35 da  SC-470

Recomendações

Em seu site, a Defesa Civil recomenda que, no caso de alagamentos, a população evite o contato com as águas que podem estar contaminadas e causar doenças. Outro conselho é não dirigir em lugares alagados.

Moradores de áreas vulneráveis a deslizamentos devem ficar atentos para o aparecimento de fendas, depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas e inclinações de troncos de árvores ou postes.

A comunidade pode acionar a Defesa Civil através do telefone 199. Veja outras recomendações para os moradores .

Leia também:

Leia mais sobre: Santa Catarina

    Leia tudo sobre: enchentesanta catarina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG