Sobe para 39 números de mortos em Angra dos Reis

Bombeiros, agentes da Defesa Civil e voluntários intensificaram os trabalhos de busca e resgataram mais nove corpos da tragédia provocada na sexta-feira pelas chuvas em Angra dos Reis, no litoral sul do Estado do Rio, elevando para 39 o total de mortos na região. Na Praia do Bananal, na Ilha Grande, já foram resgatados 26 corpos, informa o governo do Estado do Rio. No Morro do Carioca, houve resgate de 13, sendo que destes três foram encontrados na sexta-feira em locais de difícil acesso e retirados na manhã deste sábado. As buscas seguem durante a noite e a madrugada.

iG São Paulo |

Nesta manhã, os corpos de uma criança e de uma idosa foram retirados do rastro de lama, pedras e escombros deixados pelo deslizamento de uma barreira no Morro da Carioca, no centro histórico. Agentes da Defesa Civil estão retirando moradores de áreas de risco porque ainda há riscos de novos deslizamentos. Apesar da trégua da chuva e do tempo bom, há previsão de novos temporais.

Os corpos das 13 vítimas do Morro do Carioca estão sendo levados para a Escola Estadual Artur Vargas , onde também foi montada a Central de Donativos para atendimento aos 337 desabrigados e 565 desalojados em consequência das chuvas na cidade. A Defesa Civil também interditou 189 residências com risco de desabamento. Os mortos serão enterrados na tarde deste sábado no Cemitério Parque Belém, em Angra dos Reis.

Na Ilha Grande, onde uma avalanche de lama e rochas destruiu uma pousada, casas de nativos e de veraneio na Praia do Bananal, mais seis corpos foram localizados neste sábado, elevando para 26 o total de mortos. Ainda não há confirmação sobre o número de desaparecidos nessa área.

Com isso, aumentou para 61 o número de mortos em consequência da chuva forte em todo o Estado do Rio, de acordo com o último boletim divulgado pela Defesa Civil estadual.

Reuters
Equipes de resgate trabalham na área da Pousada Sankay

Equipes de resgate trabalham na área da Pousada Sankay

Trabalhos de resgate
Segundo o Coronel Pedro Machado, Comandante do Corpo de Bombeiros, mais de 120 homens dos bombeiros, das polícias Militar e Civil e da Marinha participam dos trabalhos de resgate e de buscas na Praia do Bananal e no Morro do Carioca. Barcos da Marinha e do Corpo de Bombeiros, bem como helicópteros e dezenas de homens de equipes de resgate estão trabalhando no local do deslizamento na ilha. Cães farejadores ajudam as equipes no trabalho de resgate, que desde  manhã também contam com o auxílio de uma retroescavadeira para fazer as buscas.
A assessora da Defesa Civil Municipal, Liliane Cabral, informou que todo o efetivo da Defesa Civil está mobilizado à procura de mais vítimas do deslizamento de terra no Morro da Carioca. Outros 300 voluntários treinados pela Defesa Civil estão ajudando na busca.
Visita oficial
O governador do Rio, Sérgio Cabral, esteve na manhã deste sábado em Ilha Grande para acompanhar o trabalho de resgate das vítimas das chuvas na região. Ele realizou um sobrevoo para constatar a extensão dos estragos provocados pelas chuvas.
Segundo o governo fluminense, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ofereceu ajuda do governo federal ao governador em ligação telefônica. "Aqui em Angra há pelo menos 3 mil casas em áreas de risco, então precisamos de um programa para realocar essas famílias e colocá-las em lugares dignos", disse Cabral à Globonews.
O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, informou o vice-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, de que o Estado poderá receber recursos do crédito suplementar criado pelo governo por medida provisória no último dia de 2009.
Madrugada de sexta-feira
A tragédia ocorreu na madrugada de sexta-feira, quando parte da Pousada Sankay e casas vizinhas, na Praia do Bananal, foram soterradas por um barranco.
Bruno Domingos/Reuters
Vista da área do deslizamento
Já no Morro da Carioca, em Angra, pelo menos 20 casas foram atingidas por um deslizamento de terra e 13 pessoas morreram. Segundo os bombeiros, outras dez pessoas foram socorridas com vida. Os feridos foram levados para o pronto-socorro da cidade.
Os corpos já identificados pelos moradores estão sendo levados para o Instituto Médico-Legal (IML) de Angra dos Reis. Os que ainda necessitam de identificação seguem para o IML do Rio , que montou um esquema especial para receber os corpos e os familiares das vítimas. O auditório e duas salas do prédio estão reservados para esse trabalho, que conta com uma equipe de humanização, com três enfermeiros e dois psicólogos, além de um psiquiatra e quatro assistentes sociais.
Montagem mostra a fachada da pousada antes e depois do acidente:

Reprodução com Reuters

O instrutor de mergulho Flávio Campos trabalha em parceria com a empresa Ocean, que tinha base de operações na pousada Sankay, em Ilha Grande. Ele conta nunca ter visto nada parecido na área da tragédia. "Na enseada não tem nenhum desmatamento, é uma área bem preservada. Foi o acaso mesmo."
Informações sobre vítimas
De acordo com o subsecretário da Defesa Civil de Angra dos Reis, José Lucas da Costa, informações sobre o acidente e vítimas podem ser obtidas no Centro de Informações Turísticas pelo telefone 24 3367-7826.
Assista ao vídeo do local da tragédia
Mortes no Estado
O Estado do Rio de Janeiro contabiliza mais de 60 mortes em razão das fortes chuvas que atingem a região desde a última quarta-feira (30). Segundo a Secretaria Estadual da Defesa Civil do Rio, em todo o Estado são mais de 2 mil desalojados e 875 desabrigados.
Veja no mapa a localização da praia do Bananal, atingida pelos deslizamentos :


Visualizar Ilha Grande em um mapa maior
Leia também:

*Com informações da Agência Estado, Agência Brasil e Reuters

Leia mais sobre: chuvas

    Leia tudo sobre: chuvasdeslizamento de terraenchenterio de janeirosankaitragédia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG