Subiu para 31 o número de municípios do Estado São Paulo em situação de emergência devido às fortes chuvas que vêm ocorrendo desde o fim do ano passado, segundo boletim divulgado hoje pela Defesa Civil estadual. O número de desabrigados já chega a 5.

161 e o de pessoas afetadas pela chuva a 19.855. No total, 69 pessoas morreram no Estado.

Sete cidades estão em estado de alerta para possíveis deslizamentos e alagamentos. No litoral norte estão em alerta os municípios de São Sebastião e Ubatuba. No Grande ABC, as cidades de Mauá e Ribeirão Pires. No Vale do Paraíba são as cidades de Guaratinguetá, São Luiz do Paraitinga e Cunha - essas duas últimas também estão em situação de calamidade pública.

As cidades em situação de emergência são Álvares Machado, Atibaia, Bofete, Bom Jesus dos Perdões, Caieiras, Caiuá, Capivari, Chavantes, Cotia, Ferraz de Vasconcelos, Franco da Rocha, Getulina, Guararema, Inúbia Paulista, Itapevi, Lucélia, Lourdes, Manduri, Mineiros do Tietê, Mirassol, Osasco, Oscar Bressane, Pardinho, Pracinha, Presidente Venceslau, São José do Rio Preto, São Lourenço da Serra, Santa Barbara D'Oeste, Santo André, Santo Antônio do Pinhal e Sumaré.

Transtornos

As chuvas do último fim de semana provocaram estragos em várias cidades do Circuito das Águas, entre elas Amparo, Serra Negra e Águas de Lindoia, todas no interior paulista, afetando pelo menos 215 pessoas, segundo dados da Defesa Civil estadual.

O Bairro dos Pedrosos, em Amparo, foi atingido na sua parte baixa por inundação devido ao transbordamento do Rio Jaguari. Cerca de 156 pessoas ficaram desalojadas e foram encaminhadas para casas de parentes e amigos. Mais 58 pessoas ficaram desabrigadas, das quais 28 foram levadas ao mercado municipal Eleutério Miguel, no município de Morungaba, e 30 foram para três abrigos dentro do próprio bairro.

Em Serra Negra, uma chuva forte na tarde de segunda-feira provocou alagamentos e inundações. O Ribeirão Serra Negra transbordou e afetou vários imóveis na região central e nos bairros São Luís e dos Francos.

O transbordamento do córrego sob o qual cruza a Rua Romualdo Ricieri Geaciani, em Águas de Lindoia, provocou o desbarrancamento da encosta à margem da via e deslizamento de metade da pista, além do rompimento da tubulação pluvial. O departamento de trânsito interditou o acesso de coletivos e caminhões, restringindo acesso a moradores e veículos leves no trecho remanescente da via.

Pontes

Em Monte Mor, quatro pontes foram interditadas sobre o Rio Capivari, na Estrada Municipal Monte Mor/Viracopos (MOR 334 - KM 01), outro na Estrada Municipal Monte Mor/Campinas (MOR 330 - KM 03), Estrada Municipal Monte Mor/Capivari (MOR 333) e ligação das Ruas 9 e 10 do Loteamento Chácaras Planalto. Os locais foram sinalizados e o trânsito desviado para outros acessos.

O Córrego São João, em São João da Boa Vista, transbordou e afetou vários imóveis na região central e nos bairros Vila Brasil, Santo Antonio e Jardim da Glória. Na Rua Dom Alberto Gonçalves, no centro, as galerias de águas pluviais foram danificadas e romperam o asfalto.

Em Bragança Paulista, a chuva provocou alagamentos e deslizamento de terra. Os bairros mais afetados com os alagamentos foram o bairro Planejada II, Santa Lúcia e Jardim Morumbi. Uma casa na Rua Alziro de Oliveira, bairro Jardim Morumbi, foi interditada preventivamente após um deslizamento de terra que derrubou parte de um muro. A família composta por cinco pessoas foi removida para a casa de parentes.

No município de Álvares Machado, diversas ocorrências foram causadas em decorrência das fortes chuvas que ocorreram nos 17 dias do mês, especialmente no dia 23, sendo totalizado 471,8 milímetros. Houve alagamentos de prédios públicos e residências, destruição de pavimentação de vias públicas, galerias, pontes e estradas rurais.

Os bairros mais atingidos na área urbana foram Jardim São João, Jardim Ivanira, Jardim Raio do Sol, Jardim São Francisco, Jardim Santa Eugênia, Chácara Arthur Boigues, Jardim Bela Vista, Jardim Horizonte, Jardim São José, Parque dos Pinheiros e Jardim Panorama. Na área rural foram afetados os bairros Córrego do Macaco, São Geraldo, Bairro da Fazendinha, Bairro km 04, Bairro Santa Luzia e bairro Córrego da Paca. Duas residências particulares e duas públicas acabaram danificadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.