Sobe o número de mortes causadas pelas chuvas no Rio

RIO DE JANEIRO - A Defesa Civil do Estado do Rio de Janeiro confirmou até o momento 18 mortes desde a noite de quarta-feira em razão das chuvas que atingiram todo o Estado. Além das 18 vítimas contabilizadas, Mário Jorge Passos, de 49 anos, também morreu na tarde desta quinta-feira. A Defesa Civil deve divulgar nova nota oficial às 18h.

iG Rio de Janeiro |

Mário Passos estava internado com a filha de três anos no Hospital Salgado Filho. Os dois moravam com outra mulher soterrada no desabamento da casa na Fazenda da Bica, em Quintino. A menina segue internada.

Na capital fluminense, uma família de cinco pessoas (três homens, uma mulher e um menino) morreu na Praça Seca, em Jacarepaguá, na zona oeste. O local foi visitado por Paes antes do balanço na central de operações. Em Vaz Lobo, a queda de um imóvel vitimou um casal. Uma mulher morreu em Cascadura pelo mesmo motivo. Em Irajá, outro deslizamento provocou a morte de uma pessoa.

AE

Bombeiros deixam a casa atingida por deslizamento na Rua Lancastre em Cascadura, subúrbio do Rio


São quatro o número de desabrigados devido a um desastre ocorrido em Piabetá. Os desalojados foram encaminhados para Escola Municipal Benito Cozolino, no centro de Magé. Em Mangaratiba, são outros dez desalojados.

Em Niterói, no Morro do Estado, a situação é crítica e os moradores estão com muita dificuldade em notificar a Defesa Civil. A auxiliar de escritório Genilda Ferreira dos Santos, de 30 anos, mora no local e está apavorada. Ela relatou deslizamentos e teme que sua casa seja atingida a qualquer momento.

"Tem um barranco aqui perto de casa que há 30 anos vive nessa de cai não cai. Foi cedendo. O meu pai fez um muro, mas é só na metade do barranco. Aí caiu a outra metade com uma árvore que desceu e trouxe tudo. Os escombros estão perto das casas. Não tem mais barranco agora, só tem parede das casas para cair. Se a casa de cima cair, vem em cima minha. Não consigo falar com a Defesa Civil", contou a moradora.

Em Icaraí, bairro de classe média de Niterói, a chuva também fez estragos. Diversas ruas ficaram alagadas e dificultaram o tráfego de veículos. O mesmo ocorreu em outras partes da cidade do Rio.

Internauta
Deslizamento no Morro do Estado
Deslizamento no Morro do Estado

Em Jacarepaguá, cinco pessoas de uma mesma família, entre elas uma menina de dois anos, ficaram soterradas após um deslizamento. Quatro morreram no local e os bombeiros levaram mais de cinco horas para fazer o resgate. Em Duque de Caxias, área mais atingida pelas chuvas, um menino morreu após outro desabamento.

A Defesa Civil já registrou 220 ocorrências entre as 19h de quarta-feira até às 8h desta quinta. O órgão recomenda, em boletim oficial: "A cidade está em estado de atenção e a chuva deve continuar de leve a moderada durante todo o dia. Como permanece chovendo desde ontem (quarta), a Defesa Civil recomenda cautela aos moradores de encostas, principalmente durante a noite. Em caso de chuva forte e contínua, é recomendado que procurem um lugar seguro para abrigo".

O coordenador de Operações do órgão municipal, major Márcio Motta, explicou ao iG que é preciso ficar atento a possíveis acidentes porque o escoamento da água está muito lento . O grande problema é que tem chovido desde domingo, coincidindo com a maré alta de um metro. Então, demora para haver escoamento da água pelo solo, disse.

*Com Agência Estado e Agência Brasil

    Leia tudo sobre: chuvasrio de janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG