Citados nos grampos da Operação Castelo de Areia, ação conjunta da Polícia Federal e da Procuradoria da República que investiga supostas doações ilegais da construtora Camargo Corrêa para políticos e partidos, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e seu presidente, Paulo Skaf, divulgaram no início da noite de ontem nota negando “de maneira enérgica e definitiva” qualquer envolvimento no esquema. Na nota, afastam “qualquer hipótese de envolvimento em ‘distribuição de dinheiro para funcionários públicos’, ‘pagamentos por fora’ e, muito menos, ‘obtenção de benefícios indevidos em obras públicas’”.

A Fiesp afirmou que não contribui com nenhum tipo de recurso, financeiro ou de qualquer outra espécie, para partidos políticos ou candidatos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.