Situação vê harmonia em pesquisa CNT; oposição desqualifica

BRASÍLIA (Reuters) - Enquanto os governistas receberam a pesquisa CNT/Sensus, com recorde de popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e apoio ao terceiro mandato, como sintonia entre população e governo, a oposição desqualificou a sondagem, que está em sua 92a edição. O governo Lula foi avaliado como positivo por 57,5 por cento dos entrevistados, e seu desempenho pessoal chegou a 69,3 por cento de aprovação. A pesquisa CNT/Sensus perguntou aos entrevistados se apoiariam uma mudança constitucional para que Lula pudesse concorrer a um terceiro mandato, e 50,4 por cento responderam favoravelmente.

Reuters |

'Isso mostra sintonia entre o que o governo está fazendo e a expectativa da população', disse o líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS).

'Mas nós não vamos falar de terceiro mandato, porque o presidente Lula não quer e ele é um estadista. Nós não vamos rasgar a Constituição, aliás como fizeram nossos adversários para dar um segundo mandato a Fernando Henrique Cardoso', acrescentou Fontana, salientando que o objetivo do governo é aprovar candidato único da base de apoio para apoiar na eleição de 2010.

Já o líder do DEM na Câmara, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA) procurou desqualificar a pesquisa e o instituto que a realiza.

'Em primeiro lugar, não levo a sério os números trazidos por esse instituto, porque não goza de independência e credibilidade suficientes para dar um diagnóstico. E nem levo a sério esta discussão de terceiro mandato, que é descabida e não vai ter prosperidade do Congresso', disse o líder oposicionista.

ACM Neto reconheceu que Lula desfruta de popularidade alta, mas rejeitou vinculação com a permanência do presidente no poder depois de 2010.

'(Ele) tem boa avaliação e boa popularidade, mas não significa que a população deseje alteração na Constituição para conceder a ele um terceiro mando, o que na minha opinião seria um golpe descabido nesse momento', disse o deputado.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG