Sirkis condiciona aliança PV-PSDB a palanque a Marina

O vereador Alfredo Sirkis, presidente do PV fluminense e integrante da Executiva Nacional, considera positivo o apoio do PSDB a uma eventual campanha do deputado federal verde Fernando Gabeira para o governo do Rio de Janeiro. Gabeira voltou a cogitar a possibilidade de disputar o cargo desde que o comando tucano entre em um acordo com o PV e a pré-candidata do partido à Presidência, a senadora Marina Silva (AC).

Agência Estado |

De acordo com Sirkis, a participação tucana é viável desde que haja palanque para Marina no Rio.

"A participação do PSDB viabiliza uma envergadura maior para a campanha, embora exista uma série de fatores que devam ser considerados", afirmou Sirkis, que vinha sendo cogitado para ser o nome do PV ao governo do Estado no caso de uma chapa apenas com nomes do partido. Ele disse não acreditar que o eleitor será confundido pelo fato de dois partidos fazerem campanha juntos na esfera estadual e serem adversários na federal.

"O eleitor já está acostumado com essas assimetrias regionais. Isso inclusive já aconteceu", lembrou ele, referindo-se à eleição de 1998, quando o candidato do PT a governador do Acre, Jorge Viana, foi apoiado tanto por Luiz Inácio Lula da Silva quanto por Fernando Henrique Cardoso, que disputavam a Presidência.

Um dos principais nomes do PV, Gabeira é contra a formação de uma chapa puro-sangue no Rio por acreditar que o partido não teria chances mínimas de conseguir um bom resultado na eleição. Sozinha, a sigla teria pouco mais de um minuto na propaganda eleitoral da TV. Caso haja um acordo entre PV e PSDB, a costura sobre como será o palanque para a campanha presidencial do PSDB no Rio será delicada, já que o pré-candidato tucano, José Serra, não teria palanque no Estado, pelo menos num primeiro turno.

Campanha

A agenda da coordenação de campanha de Marina Silva tem sido intensa neste primeiro mês do ano. A executiva do PV tem se reunido ao menos três dias por semana para discutir os mais variados assuntos, de programas na TV aos nomes que coordenarão cada área da campanha. Ontem, a executiva se reuniu com o cineasta Fernando Meirelles para discutir o programa de TV que vai ao ar dia 4 de fevereiro. Hoje, a senadora e a executiva passaram o dia em reuniões técnicas.

"Temos discutido de tudo. Estamos estruturando, alinhavando a coordenação definitiva da campanha", afirmou Sirkis. Segundo ele, a equipe deve ser anunciada até o dia 20 deste mês. Na agenda de hoje ainda havia conversas de Marina marcadas com o ambientalista e ex-deputado Fabio Feldmann e o secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente, Eduardo Jorge, segundo informações de membros do partido. O primeiro é cotado para concorrer ao governo de São Paulo e o segundo, para coordenador-geral da campanha da senadora à Presidência. As reuniões da executiva prosseguirão amanhã.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG