SIP comemora captura de foragido condenado pelo assassinato de Tim Lopes

Sociedade Interamericana de Imprensa elogia ação policial, mas critica sistema "datado"

EFE |

MIAMI - A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) qualificou hoje como positiva a captura de um dos foragidos sentenciado pelo assassinato do repórter Tim Lopes em 2002. Ângelo Ferreira da Silva, preso em regime semi-aberto, fugiu no dia 7 de fevereiro. Ele é um dos sete condenados pelo assassinato de Lopes, que foi sentenciado a 15 anos de prisão.

A SIP indicou em um comunicado que Silva foi favorecido por um sistema "datado" que concede ao preso o benefício de um regime semiaberto com direito a sair, trabalhar e estudar fora do presídio, depois de ter cumprido um sexto do total de sua pena. Outro condenado pelo crime, Elizeu Felício de Souza, sentenciado a 23 anos de prisão e favorecido pelo mesmo sistema, está foragido desde julho de 2007. O presidente da SIP, Alejandro Aguirre, subdiretor do jornal "Diario Las Américas", de Miami, ressaltou: "Apesar de cumprimentarmos a captura do prisioneiro, consideramos fundamental que as autoridades revisem a aplicação dos benefícios penais".

Lopes, repórter e produtor da TV Globo no Rio de Janeiro, se dirigiu a uma favela com uma câmera escondida para investigar denúncias sobre a exploração sexual e o vínculo do narcotráfico nos bailes juvenis. "Foi sequestrado, torturado e seu corpo esquartejado. Seu assassinato mobilizou jornalistas e à sociedade brasileira que exigiu justiça imediata pelo caso", informou a SIP, com sede em Miami. Uma situação similar ocorreu no caso de Ronaldo Santana de Araújo, jornalista radicado na Bahia, assassinado no dia 9 de outubro de 1997, quando o único condenado por este crime, Paulo Sérgio Mendes Lima, escapou em maio de 2008 ao sair da prisão com uma licença de trabalho.

A organização também condenou o sequestro e tortura contra Gilvan Luiz Pereira, proprietário e editor do jornal "Sem Nome", publicado na cidade de Juazeiro do Norte, no Ceará. "Pereira foi sequestrado por pelo menos três sujeitos no dia 20 de maio à noite em frente a sua casa. Segundo relatou, várias testemunhas denunciaram o rapto à Polícia, que 20 minutos mais tarde localizou Pereira dentro de um veículo, atado e com ferimentos no corpo e no rosto. O jornalista foi levado a um hospital e se recupera bem", ressaltou a SIP. Pereira, que denunciou irregularidades na gestão administrativa do prefeito de Juazeiro do Norte, Manoel de Santana Neto, e contra o vereador Roberto Sampaio, responsabilizou os funcionários municipais pela agressão. O jornalista tinha advertido em suas notas da possibilidade de sofrer um atentado.

    Leia tudo sobre: tim lopesrio de janeiropolíciasip

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG