SINOPSE DE JORNAL: Em 2006, Pinacoteca pediu verba para melhorar segurança

SÃO PAULO - A Pinacoteca do Estado, que administra o museu Estação Pinacoteca, onde foram roubadas quatro obras à luz do dia nesta quinta-feira, já havia detectado problemas de segurança desde setembro de 2006. Na época, por meio da Associação de Amigos da Pinacoteca do Estado, foi encaminhado ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) um projeto para melhorias no esquema de proteção ao acervo dos edifícios, localizados na região central de São Paulo. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Redação |



Reprodução
Ação durou cerca de dez minutos

A verba de R$ 490 mil, destinada à "ampliação e modernização dos sistemas de segurança nos edifícios da Pinacoteca do Estado", começará ser liberada a partir do mês que vem, segundo a reportagem.

O valor corresponde a metade do prejuízo com os roubos das obras "Mulheres na Janela" (1926), de Di Cavalcanti, "Casal" (1919), de Lasar Segall, "O Pintor e seu Modelo" (1963) e "Minotauro, Bebedor e Mulheres" (1933), ambas de Pablo Picasso. As obras foram emprestadas ao museu pela Fundação José e Paulina Nemirovsky.

O BNDES informou que o tempo transcorrido desde o envio do projeto até a liberação do dinheiro é padrão, já que 213 propostas foram analisadas. Apenas 28 foram escolhidas.

O roubo

Divulgação

"O pintor e seu modelo", de Pablo Picasso
Por volta da 12h desta quinta-feira, pelo menos três homens, um deles armado, invadiram a estação e roubaram quatro quadros. A informação foi confirmada pela Polícia Militar, pelo Deic da Polícia Civil e pelas secretarias de Segurança (SSP) e de Cultura do Estado.

As obras pertencem à Fundação Jose e Paulina Nemirovsky e estavam expostas no segundo andar do edifício.

As obras furtadas são: "Casal" (1919), de Lasar Segall, guache sobre cartão; "O pintor e seu modelo" (1963), de Pablo Picasso, gravura a água-tinta, ponta-seca e buril sobre papel; "Minotauro, bebedor e mulheres" (1933), de Pablo Picasso, gravura a água-forte sobre papel; "Mulheres na janela" (1926), de Di Cavalcanti, pintura a óleo sobre cartão.

Os quatro trabalhos têm um valor aproximado de R$ 1 milhão. A Secretaria de Estado da Cultura se pronunciará após a conclusão das primeiras investigações. O edifício da Estação Pinacoteca permanecerá fechado no resto do dia de hoje e reabrirá na sexta-feira.


Leia também:


Leia mais sobre: Pinacoteca

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG