Sinopse de imprensa - STF exclui Dilma da lista de investigados no caso dossiê

BRASÍLIA - Os ministros Dilma Rousseff (Casa Civil) e Tarso Genro (Justiça) foram excluídos da lista de possíveis investigados do inquérito da Polícia Federal que apura a produção e o vazamento do dossiê sobre gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. A decisão foi tomada na última terça-feira pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF). As informações são do jornal ¿Folha de S. Paulo¿.

Redação |

"Não há até este momento fatos que justifiquem a investigação de autoridades em instância superior", disse à reportagem Lewandowski, relator do caso.

Agência Brasil

Dilma Rousseff foi excluída de processo

Apesar de isentar por ora Dilma e Tarso, Lewandowski determinou que as apurações prossigam -os ministros podem voltar a ser alvos de investigação futuramente. O STF devolveu o inquérito sigiloso à primeira instância da Justiça Federal por não existirem mais entre os investigados autoridades com foro privilegiado.

A Folha revelou em abril do ano passado que o dossiê contendo gastos pessoais de FHC e da ex-primeira-dama Ruth Cardoso foi produzido dentro da Casa Civil, por ordem da secretária-executiva Erenice Guerra, braço direito de Dilma. Mas, segundo Lewandowski, não há nas investigações da PF evidências de que a ordem tenha partido da ministra.

Já Tarso foi inocentado da acusação de ter prevaricado ao não ordenar à PF a instauração de inquérito logo que o escândalo veio a público. Essa denúncia foi feita pelo deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP).

Dossiê

O dossiê foi feito em fevereiro de 2008, pouco antes da instalação da CPI dos Cartões Corporativos. A comissão tinha como objetivo investigar irregularidades no uso dos cartões por ministros do governo Lula.

Agência Brasil
Tarso Genro também não esta mais em inquérito
A partir de ordem de Erenice -que sempre negou ter confeccionado um dossiê e afirmou ter reproduzido um banco de dados-, coube ao secretário de administração da pasta, Norberto Temóteo, pedir aos chefes de diferentes secretarias da Casa Civil que cedessem funcionários para trabalhar na montagem da planilha.

Dez funcionários foram coordenados por Maria de la Soledad Castrillo, que abriu a planilha em Excel e deu formato ao dossiê anti-FHC.

Erenice e Temóteo devem ser os próximos a serem interrogados pela PF. Antes de suspender as investigações, a PF trabalhava com a hipótese de que houve, no mínimo, atropelo às normas da administração pública na confecção do dossiê.

Leia mais sobre: dossiê

    Leia tudo sobre: dilma rousseffdossiêtarso genro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG