Sinopse de imprensa: senador paga condomínio com verba do Senado

O senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA) pagou com verba indenizatória do Senado o condomínio do edifício Granville onde tem um apartamento em São Luís (MA). O pagamento foi registrado na prestação de contas como despesa com aluguel de imóveis para escritório político, compreendendo despesas concernentes a eles. As informações são do jornal ¿Folha de S. Paulo¿.

Redação |

  • PT ouvirá Sarney antes de decidir se apoia afastamento
  • DEM, PSDB, PDT e PSol pedem afastamento de Sarney
  • PMDB pede 60 dias para Sarney provar sua inocência
  • Veja os 663 atos secretos do Senado
  • Conforme o próprio gabinete do senador, o escritório funciona em uma sala de outro edifício na capital maranhense, cujo condomínio, de R$ 288, também é pago pelo Senado.

    O recém-lançado site da transparência do Senado ( www.senado.gov.br/sf/portaltransparencia ) aponta que foram pagos R$ 1.835 em abril e R$ 2.075 em maio ao condomínio do edifício Granville.

    Em meses anteriores, o Senado não detalhava quais empresas ou pessoas recebiam dinheiro referente à verba. Por isso, não é possível saber se houve outros pagamentos.

    A verba indenizatória, de R$ 15 mil por mês, é usada para reembolsar despesas como aluguel de escritórios nos Estados, combustível e divulgação da atividade parlamentar.

    Aliado de José Sarney (PMDB-AP), Cafeteira é um dos personagens da crise pela qual passa o Senado. João Fernando Sarney, 22, neto do peemedebista, foi exonerado do gabinete dele em 2 de outubro de 2008, mas a publicação do ato de exoneração só ocorreu em 16 de abril de 2009. João Fernando recebia R$ 7.600.

    Em São Luís, a reportagem recebeu de um funcionário do edifício Granville a informação de que no local não funciona nenhum escritório de Cafeteira.

    "Aqui é o apartamento dele. Ele não vem aqui. Só aparece uma moça para limpar na sexta", disse o funcionário.

    Procurado, Cafeteira primeiro disse que o apartamento, cujo valor declarado à Justiça Eleitoral é R$ 114,2 mil, também serve como seu escritório. "Vocês [da imprensa] estão procurando coisas ruins."

    Depois, afirmou que numa emergência usou o apartamento como escritório em maio.

    Leia mais sobre crise no Senado

      Leia tudo sobre: crisesenadosenadores

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG