Sinopse de Imprensa - Segurança ilegal se espalha na zona sul do Rio, diz jornal

RIO DE JANEIRO ¿ Grupos concorrentes de vigilância ilegal já começaram a disputar áreas da zona sul do Rio - área mais nobre e bem policiada da cidade - e, em alguns casos, realizam roubos e furtos em locais controlados por rivais. A acelerada expansão da atividade clandestina, com a cobrança de colaboração em dinheiro por cartas, vem deixando os moradores amedrontados. Autoridades alertam que, se o problema não for enfrentado, há o risco de a segurança ilegal reproduzir na zona sul os mesmos métodos que originaram as milícias na zona oeste. As informações são do jornal O Globo.

Redação |

O titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco), delegado Cláudio Ferraz, disse que a milícia é um agravamento desse tipo de segurança, desse bico do agente do Estado onde existe vácuo de poder. Para ele, a ação começou a expandir-se.

O Sindicato de Empresas Regularizadas de Segurança Privada (Sindesp) estima o crescimento da atividade ilegal de vigilância em 22% ao ano, superior aos 18% das firmas legalizadas. Só na zona sul, a entidade acredita que a segurança clandestina fatura a mesma quantia que as regularizadas: cerca de R$ 6 milhões por mês.

Em vários pontos da zona sul, como a Avenida Nossa Senhora de Copacabana, dezenas de seguranças trabalham irregularmente. Em Botafogo, vigilantes usam até radiocomunicadores para controlar o movimento nas ruas Capitão Salomão e Voluntários da Pátria.

A Polícia Militar informou que o caso está sendo investigado e que a corregedoria aura denúncias que envolvam PMs.


Veja também:


Leia mais sobre:
milícias no Rio

    Leia tudo sobre: milícias

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG