Sinopse de imprensa: Plano para qualificar beneficiários do Bolsa-Família fica só no papel

Anunciado em agosto do ano passado, o plano do governo para qualificar profissionalmente beneficiários do Bolsa-Família e facilitar seu ingresso no mercado de trabalho ainda não saiu do papel. Além disso, no caminho do projeto há entraves que fazem com que o governo não veja quando ele vai virar realidade. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Redação |

O principal dos obstáculos é a crise econômica - o projeto foi concebido quando a economia estava em um bom momento, mas agora o mercado está trabalho mais restrito.

Mas outro entrave, que surpreendeu o governo, foi a falta de interessados na qualificação profissional. No ano passado, o Ministério do Desenvolvimento Social selecionou 370 mil pessoas com mais de 18 anos e a 4ª série do ensino fundamental concluída e enviou-lhes uma carta apresentando o programa, chamado Plano Setorial de Qualificação, e convidando-as a fazer parte dele. Mas apenas 5%, ou 18.500 delas, mostraram interesse.

O número está bem abaixo da meta inicial do governo, que era, numa primeira etapa, qualificar 200 mil pessoas. Para o projeto como um todo, o governo estima que haja 1,8 milhão de beneficiários do Bolsa-Família aptos a participarem do programa de qualificação profissional. 

Leia mais sobre Bolsa Família

    Leia tudo sobre: bolsa família

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG