SÃO PAULO - Protógenes Queiroz, mentor da Operação Satiagraha, deverá ser indiciado em inquérito da Polícia Federal. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo a publicação, pelo menos dois crimes podem ser atribuídos ao delegado - violação de sigilo funcional e interceptação de comunicações telefônicas e telemáticas sem autorização judicial.

O primeiro crime que a PF quer imputar ao delegado está previsto no artigo 325 do Código Penal, que pune com detenção de seis meses a dois anos servidor que revelar fato de que tem ciência em razão do cargo e que deve permanecer em segredo.

Ainda de acordo com o jornal, pelo outro crime, o da interceptação clandestina - artigo 10 da Lei 9296/96 (Lei do Grampo)-, Protógenes fica sujeito, se processado, a uma punição mais pesada, reclusão de dois anos a quatro, e multa.

Leia mais sobre: Satiagraha

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.