Sinopse de imprensa - PF investiga participação de juíza em esquema que envolve prefeitos

O inquérito federal 671/07 sobre o esquema de liberação de recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), aponta para o suposto envolvimento da juíza Ângela Maria Catão Alves, da 11ª Vara Federal de Belo Horizonte. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

Redação |

    Segundo a publicação, o documento, sob guarda da Corregedoria do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1.ª Região (Brasília) e da Procuradoria da República, sustenta que a magistrada "tem plena consciência" de que Francisco de Fátima Sampaio - gerente afastado da Caixa Econômica Federal na capital mineira - representa os interesses de Paulo Sobrinho de Sá Cruz, lobista e dono do escritório PCM Consultoria Municipal.

    Pelo menos dois juízes teriam ligações com a organização, segundo a Polícia Federal: Weliton Militão dos Santos, da 12.ª Vara Federal de Belo Horizonte, e Ângela Catão.

    Há 12 dias a PF deflagrou a Operação Pasárgada e prendeu 17 prefeitos, 15 de Minas e 2 da Bahia, além do juiz Militão. Todos os suspeitos já foram libertados. A Corte Especial do TRF avaliou que o desembargador-corregedor Jirair Aram Meguerian, que decretou as prisões, não tinha função jurisdicional para tomar tal medida - e todos os atos que praticou seriam ilegais.

    Ainda de acordo com o "Estado", Ângela não está entre os denunciados pela procuradoria, mas a PF avalia que ela mantém relações próximas com Sampaio, da Caixa.

      Leia tudo sobre: prefeitos

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG