BRASÍLIA - Tidas como órgãos vitais do Poder Legislativo, as 31 comissões permanentes do Congresso serão comandadas por 11 parlamentares investigados ou processados no Supremo Tribunal Federal. As informações são do jornal Folha de S. Paulo desta quinta-feira.

Segundo a publicação, alguns deles receberam doações de campanha de empresas diretamente interessadas em temas tratados nas comissões que vão dirigir.

Os presidentes das 20 comissões permanentes da Câmara e 11 do Senado foram eleitos nesta quarta, depois de designados pelos partidos. Entre eles, 17 não têm formação profissional relacionada aos assuntos usualmente discutidos nas reuniões, segundo suas biografias.

Leia mais sobre: comissões

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.