Sinopse de imprensa: Neto de Sarney opera crédito consignado no Senado

SÃO PAULO - Jose Adriano Cordeiro Sarney, neto do presidente do Senado, o senador José Sarney (PMDB-AP), é operador de um esquema de crédito consignado com desconto em folha de pagamento para os servidores da Casa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Redação |

Segundo investigação da Polícia Federal, detalhada em reportagem do "O Estado de S. Paulo" desta quinta-feira, a Sarcris Consultoria, Serviços e Participações Ltda, empresa de José Adriano, recebeu autorização de seis bancos para intermediar a concessão de empréstimos aos servidores com desconto na folha de pagamento.

Segundo o jornal, José Adriano abriu a empresa quatro meses depois de o então diretor de Recursos Humanos da Casa, João Carlos Zoghbi, inaugurar a Contact Assessoria de Crédito, que ganhou pelo menos R$ 2,3 milhões intermediando empréstimos junto a grandes bancos. A Sarcris começou a funcionar em 26 de fevereiro de 2007.

Na Receita Federal, foi registrada como "correspondente de instituição financeira", à semelhança da empresa montada por Zoghbi. Além do HSBC, a empresa do neto de Sarney foi autorizada a operar em nome dos bancos Fibra, Daycoval e CEF.

Em entrevista ao "Estado", José Adriano afirmou que o faturamento anual da empresa "fica abaixo de R$ 5 milhões". Ele nega que o fato de ser neto de José Sarney tenha favorecido a empresa: "Não estou ganhando dinheiro porque sou neto de Sarney."

A PF investiga suspeitas de corrupção e tráfico de influência envolvendo o negócio.

Leia mais sobre José Sarney

    Leia tudo sobre: sarneysenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG