Sinopse de Imprensa: Justiça condena pichadora da Bienal a quatro anos de prisão

SÃO PAULO - A artesã e estudante, Caroline Pivetta da Mota, de 23 anos, acusada de pichar as paredes do pavimento da 28º Bienal de São Paulo, foi condenada nesta sexta-feira a quatro anos de prisão, em regime semiaberto, por formação de quadrilha e destruição de bem protegido por lei. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

Redação |

De acordo com a reportagem, a jovem não vai ficar presa, já que a Justiça permitiu que recorra em liberdade. O advogado Augusto de Arruda Botelho, que defende Caroline, vai recorrer.

Caroline havia sido solta no dia 19 de dezembro de 2008 após mais de 50 dias na prisão. No dia da pichação, a jovem foi detida pelos seguranças e levada ao 36º Distrito Policial (Paraíso). Três dias depois foi presa na Penitenciária Feminina SantAna, no Carandiru. Ré primária, dividia a cela com uma detenta.

Leia mais sobre: Caroline Pivetta da Mota

    Leia tudo sobre: bienalcaroline pivetta da motapichação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG