Sinopse de Imprensa: Indicação política incha gabinetes de senadores

A Folha de S. Paulo traz em sua edição deste domingo a denúncia de que de cada 10 assessores do Senado, 8 não são concursados.

Redação |

Segundo o texto, tais nomeações incluem ex-prefeitos e ex-deputados, transformados em assessores depois de perder eleições.

Os servidores comissionados (sem concurso) são 2.673, 83% dos funcionários dos gabinetes. O aparelhamento atingiria também a Mesa Diretora e inclui pessoas que dão expediente fora de Brasília, embora as atividades sejam apenas em Brasília.

Levantamento feito pelo jornal aponta ainda que o Senado tem hoje 6.272 servidores e 3.512 terceirizados. Pouco mais da metade (54,23%) ingressou por concurso. Avalia-se que os comissionados sejam a principal explicação do inchaço na folha; estudo sugeriu o corte de 40% deles.

Marconi Perillo (PSDB-GO), um dos integrantes da Mesa que contrataram aliados nos Estados, negou o caráter político das indicações. Já para Mão Santa (PMDB-PI), que agiu do mesmo modo, "o senador é uma pessoa política".

Leia mais sobre: Sarney - Senado

    Leia tudo sobre: assessormarconi perillomesa diretoramão santasarney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG