Sinopse de imprensa: Grampos revelam ação de filho de Sarney no governo

Conversas gravadas em 2008 pela Polícia Federal (PF) revelam que Fernando Sarney, filho do ex-presidente da República e atual presidente do Senado, José Sarney (PMDB), controla a agenda do ministro das Minas e Energias, Edison Lobão, peça-chave do governo Lula na condução do marco regulatório do pré-sal. As informações são do jornal ¿Folha de S.Paulo¿.

Redação |

A reportagem afirma que as conversas interceptadas pela PF revelam que o filho mais velho de Sarney e Silas Rondeau, ex-ministro das Minas e Energias, têm livre acesso a Lobão e a seu gabinete. Nos diálogos gravados, a PF flagrou interferências feitas pelos dois acusados na agenda do ministro, como marcação e cancelamento de reuniões. As escutas revelam ainda orientações a Lobão sobre encontros com empresários e fechamento de contratos.

No entender da PF, as conversas, obtidas com autorização da Justiça, configuram tráfico de influência ¿ crime de solicitar ou obter vantagem para influir em órgão público ¿, que prevê pena de dois a cinco anos de prisão. O relatório do inquérito diz que Fernando Sarney coordenou a prática ilícita.

As escutas revelaram que Lobão, Rondeau e Fernando Sarney se tratam quase sempre por apelidos. O ministro é chamado de Magro Velho; Rondeau é o Baixinho; Fernando o Bomba, Bombinha ou Madre; e José Sarney é chamado de Madre Superiora.

Questionado pela reportagem da Folha de S.Paulo, Lobão negou que o presidente do Senado, por meio de seu filho e de Rondeau, interfira em sua agenda ou tenha influência sobre questões do governo.

Leia mais sobre: Fernando Sarney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG