Os oito controladores do Cindacta-4 (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo) acusados de promover o motim que interrompeu o tráfego aéreo do País em 30 de março de 2007 foram condenados nesta quinta-feira pela Justiça Militar, em Manaus. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

    Segundo o jornal, as penas vão de dois meses a dois anos e dois meses de detenção, além da perda dos cargos.

    Os militares foram condenados pelos crimes de publicação ou crítica indevida, desrespeito a superior e incitamento à desobediência, à indisciplina ou à prática de crime militar, previstos no Código Penal Militar. Eles poderão recorrer da decisão em liberdade.

    Ainda de acordo com a "Folha", dos oito, apenas o sargento Rivelino Paiva não perdeu o cargo. Os outros foram os sargentos Lisandro Koyama, Alex Gonçalves Sá, Daniel Tavares de Lima, Walber Sousa Oliveira, Wilson Aragão, Wendelson Pereira Pessoa e Michael Rodrigues. Os acusados negam os crimes.

    Leia mais sobre: crise aérea

      Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.