Sinopse de imprensa: Campanhas em SP ocultam R$ 42,7 milhões em doações

O eleitor paulistano jamais poderá identificar a origem de R$ 42.767.802,25 gastos nas principais campanhas à Prefeitura de São Paulo neste ano. De acordo com as informações do jornal ¿Folha de S. Paulo¿, essa é a soma de recursos repassados diretamente pelos partidos para os comitês municipais ou contas de campanha na eleição. Como na prestação apresentada ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral) são registrados como contribuição partidária, o verdadeiro doador não é revelado.

Redação |

Na eleição, os comitês financeiros municipais do DEM, PT, PSDB, PPS e PP arrecadaram, juntos, R$ 71.226.669,87. Desses, R$ 37.110.204,51 - 52,10% - foram registrados como doações partidárias. Com isso, a origem de pelo menos metade dos gastos de campanhas à Prefeitura está oculta.

Além de R$ 8.739.936,66 enviados para o comitê, o PT doou outros R$ 5,7 milhões diretamente para a campanha de Marta Suplicy. Daí, a soma de R$ 42,7 milhões.

Métodos

Para omitir seus colaborares, os partidos recorrem a uma intrincada engenharia. Os doadores dão dinheiro ao comando nacional dos partidos, que repassam para os comitês financeiros, que, por sua vez, abastecem as contas dos candidatos.

Pela lei, os partidos políticos têm até o último dia de abril para prestar contas ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Mas nelas só será possível saber quem contribuiu para determinada sigla. Não o beneficiário final do dinheiro.

O comitê do DEM arrecadou R$ 34,4 milhões, sendo R$ 17,6 milhões saídos dos cofres do partido. Desses R$ 34,4 milhões, R$ 27,9 milhões foram usados na campanha de reeleição do prefeito Gilberto Kassab. O comitê abasteceu até aliados, enviando dinheiro ao PMDB e ao PR.

As doações ocultas representam 54% dos R$ 16,4 milhões gastos na campanha de Geraldo Alckmin (PSDB).

O comitê do DEM recebeu R$ 16,8 milhões de pessoas jurídicas. Dessa lista, 39 empresas são contratadas da Prefeitura de São Paulo. Segundo levantamento realizado pelo vereador Paulo Fiorilo (PT) a pedido da reportagem, essas empresas são beneficiárias de cerca de R$ 1 milhão em empenhos (compromissos) realizados pela prefeitura de janeiro de 2005 até agora, sendo que R$ 759 milhões já foram liberados.

Foram gastos R$ 18,6 milhões com seus visitadores. De acordo com as prestações, a campanha de Kassab gastou R$ 9 milhões com programa de rádio e TV, além de R$ 10,7 milhões com a contratação de terceiros. A campanha de Marta declarou um gasto de R$ 7,5 milhões com propaganda, R$ 4,7 milhões com pessoal e R$ 1,6 milhão com serviços terceirizados. Já a campanha de Alckmin registra despesas de R$ 8,4 milhões com programa eleitoral e R$ 3,2 milhões com prestadores de serviços.

    Leia tudo sobre: alckminkassabmarta suplicy

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG