Sinopse de imprensa: Arrozeiros vão manter plantações em reserva

Um dia após ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) terem votado a favor da retirada dos produtores de arroz da reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, os fazendeiros afirmaram que vão continuar plantando. As informações são do jornal ¿Folha de S. Paulo¿

Redação |

A reportagem falou nesta quinta-feira com quatro dos sete rizicultores que deverão deixar a terra indígena se a votação for mantida. Todos disseram que continuarão a produzir enquanto puderem. O arroz plantado agora poderá ser colhido a partir de abril.

"Eu vou plantar. Tenho funcionário que trabalha comigo há dez anos. Vou fazer o quê?
Mandar todos embora? E a família desse povo faz o quê?", disse o gaúcho Ivo Barili, que está em Roraima há 28 anos. Ele disse empregar atualmente cerca de 40 pessoas.

Na quarta-feira, 8 dos 11 ministros votaram pela manutenção da demarcação contínua da terra indígena com ressalvas. O julgamento foi suspenso com o pedido de vista do ministro Marco Aurélio Mello e deve ser concluído no início de 2009.

A reação dos produtores à votação no STF é de revolta e de indignação. Alguns têm esperança de que os ministros mudem seus votos quando o julgamento for retomado.

"Vamos pensar no que fazer, mas, a princípio, não vamos sair. Só aqui em Roraima que não se tem direito à propriedade, pois foi o Incra que vendeu esta área. Você viu alguém mencionar isso ontem [anteontem, no julgamento]?", questionou Ivalcir Centenaro, que está em Roraima há 28 anos. "Pagamos impostos todos os anos e agora somos chamados de invasores."

A reportagem percorreu ontem a lavoura de arroz da fazenda Depósito, uma das duas propriedades de Quartiero dentro da terra indígena. Na área -a mesma onde dez indígenas foram feridos em maio deste ano após invadi-la- a plantação se estende por centenas de metros, como um grande tapete verde. Parte deve começar a ser colhida em cerca 20 dias. Outras áreas foram semeadas recentemente.

Os funcionários da fazenda estão proibidos de dar declarações pelo rizicultor. Um deles afirmou, no entanto, que, depois da votação de anteontem, já espera ser demitido. "Nem sei o que vou fazer", disse.

Os produtores esperam também o julgamento de uma ação sobre o valor pago pelo governo como indenização. Eles querem acima de R$ 90 milhões, segundo avaliações de peritos contratados por eles. A Funai (Fundação Nacional do Índio) pagou R$ 2,2 milhões, já depositados na Justiça, pelas benfeitorias instaladas na área.

Leia mais sobre: Raposa Serra do Sol

    Leia tudo sobre: raposa serra do sol

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG