Todos os 16 delegados em atividade na área da Delegacia Seccional de Barretos, interior de São Paulo, entregaram ontem seus cargos após o governo José Serra (PSDB) ter destituído o chefe da unidade, João Osinski Junior, em razão da greve de policiais civis -iniciada no último dia 16. As informações são do jornal Folha de S. Paulo desta quinta-feira.

Acordo Ortográfico

Segundo a publicação, além de colocarem os cargos à disposição, delegados e outros policiais civis de Barretos -com fitas pretas presas à boca- caminharam até o fórum de Barretos para protocolar uma denúncia contra nove oficiais da Polícia Militar por usurpação do cargo de policial civil -os PMs, por orientação do governo, estão agindo como investigadores e solicitando trabalhos de perícia técnica.

Entre os que colocaram os cargos à disposição nesta quarta, sete dirigem delegacias de Barretos, entre elas a de defesa da mulher, dois são auxiliares do seccional e os outros são delegados em sete cidades da região.

Ainda de acordo com a "Folha", a gestão José Serra (PSDB) evitou comentar a decisão dos delegados. Em nota, a Secretaria da Segurança Pública disse: "Se eles quisessem mesmo isso [entregar o cargo], teriam aberto requerimentos para transferência ou exoneração".

Leia mais sobre: polícia civil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.