Sinopse de imprensa: aliados de Sarney têm histório truculento

BRASÍLIA - Parlamentares que no passado estiveram em situações semelhantes ou até mais graves que a vivida pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB ¿ AP), assumiram a linha de frente para manter o peemedebista no cargo. Dentro da ¿tropa de choque¿ do senador não faltam políticos com currículos recheados de corrupção, denúncias e ações na Justiça, segundo levantamento feito pelo jornal ¿O Estado de São Paulo¿.

Redação |

Um dos mais fiéis defensores de Sarney, Renan Calheiros (PMDB-AL), teve que abandonar o cargo ocupado pelo colega em 2007 após suspeita de que pagava pensão de sua filha com dinheiro de uma construtora.

Outros aliados com ficha suja são Fernando Collor (PTB-AL), que sofreu impeachment da presidência da República por esquema de corrupção, e Wellington Salgado (PMDB-MG), que é investigado no Supremo Tribunal Federal (STF) por sonegação fiscal e apropriação indébita previdenciária.

Além deles, Gim Argelo (PTB-DF) tem acusações contra crimes de licitações, peculato, corrupção passiva e lavagem de bens e Romero Jucá (PMDB-RR) é alvo de ação por crime de responsabilidade e suspeito de compra de votos.

Leia também


Leia mais sobre crise no Senado


    Leia tudo sobre: sarneysenadosenadores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG