Sindicato nega ter recebido liminar que determina o fim da greve dos guardas em SP

SÃO PAULO - O presidente do Sindicato dos Guardas Civis Metropolitanos da cidade de São Paulo (SindGuardas), Carlos Augusto Sousa Silva, negou nesta segunda-feira que a diretoria tenha sido informada oficialmente sobre uma liminar concedida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo que determina o fim da greve da categoria.

Redação com Agência Estado |

A liminar, concedida nesta sexta-feira (28/08), estabelece uma multa diária de R$ 100 mil ao Sindicato dos Guardas Civis Metropolitanos da cidade de São Paulo (SindGuardas) e à Associação Paulista dos Integrantes e Funcionários das Guardas Municipais em caso de descumprimento da decisão.

Apesar de o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Roberto Vallim Bellochi, ter concedido a liminar a sexta-feira , as partes só teriam sido avisadas no final da tarde desta segunda-feira, de acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça. 

Agência Estado
Agentes em greve da Guarda Civil Metropolitana (GCM) realizam protesto em frente à Prefeitura de São Paulo, no centro da capital, nesta segunda-feira. A categoria pede reajuste do salário-base, aumento do porcentual de gratificação para 140% (o índice atual é de 60%), a implementação do plano de estruturação de carreiras e melhores condições de trabalho e higiene
Agentes em greve da Guarda Civil Metropolitana (GCM) realizam protesto em frente à Prefeitura de São Paulo, no centro da capital, nesta segunda-feira.

A primeira greve dos guardas civis metropolitanos em São Paulo entrou nesta segunda-feira no seu sétimo dia. Durante o dia, os guardas civis retornaram para a frente da sede da Prefeitura da capital paulista, no centro, para cobrar diálogo com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM). De acordo com a entidade, o prefeito se nega a discutir valorizações com a categoria, deixando os agentes com um dos piores salários da região metropolitana.

Os guardas civis querem o reajuste do salário-base da categoria, implantação de um plano de carreira e aumento do porcentual de gratificação. O envio à Câmara de um projeto de lei de autoria do  prefeito Kassab para dar abono a policiais que trabalhem para a Prefeitura acirrou o embate com os guardas civis. A proposta foi aprovada na última quarta-feira pelos vereadores por unanimidade.

Agência Estado
Agentes em greve da Guarda Civil Metropolitana (GCM) realizam protesto em frente à Prefeitura de São Paulo, no centro da capital, nesta segunda-feira.
Agentes em greve da Guarda Civil Metropolitana (GCM) realizam protesto em frente à Prefeitura de São Paulo, no centro da capital, nesta segunda-feira.

De acordo com o Sindicato, 800 guardas - cerca de 70% do efetivo da categoria - aderiram à greve, mas a Secretaria Municipal de Segurança Urbana afirma que a paralisação não ocorre nas proporções divulgadas pelos grevistas. O Sindguardas afirma que a categoria está com os 30% do efetivo trabalhando para a proteção das unidades e que realiza manifestações ordeiras e pacíficas e com ampla divulgação pela mídia.

Leia mais sobre: guarda civil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG