Sindicato dos caminhoneiros entra com nova medida contra rodízio

SÃO PAULO - O Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região (Setcesp) planeja entrar, nesta terça-feira, com um agravo de instrumento contra o rodízio de caminhões. A ação deve pedir que o juíz analise novamente a liminar que pedia pelo fim do novo rodízio.

Redação |

Na blitz de fiscalização que a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) realizou nesta segunda-feira, o vice¿presidente do Setcesp, Manuel Sousa Lima Júnior, de 57 anos, relatou que o sindicato entrou com uma liminar, na quinta-feira, para suspender o novo rodízio para os caminhões, mas ela foi negada já no dia seguinte.

Não nos resta outra alternativa do que aguardar e sofrer os impactos que a medida pode trazer, disse. Segundo ele, além dos caminhoneiros que vêm de outras regiões terem que adequar os horários para cumprir o rodízio, a cidade corre o risco de desabastecimento. Com a retirada dos caminhões grandes da zona de restrição, deve aumentar o número de veículos menores para fazer este transporte. O custo disso é maior e deve ser repassado ao consumidor, afirmou.

No segundo dia de rodízio, a cidade de São Paulo registrou uma melhora no trânsito. Às 11 horas, a cidade acumulava 39 km de lentidão, o correspondente a 4,7% dos 835 km monitorados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). A média para o horário é de 9,7%. Nesta semana, a cidade enfrenta outro agravante, a volta às aulas.

Novo rodízio

A restrição aos caminhões seguirá o mesmo horário (das 7h às 10h e das 17h às 20h) e critério do rodízio de carros (o final da placa). Caminhões com placas com final 1 e 2 ficam proibidos de rodar às segundas-feiras; 3 e 4, às terças; 5 e 6, às quartas; 7 e 8, às quintas e 9 e zero, às sextas. Quem descumprir o rodízio pagará multa de R$ 85,13.

Patrícia Santos/AE
Rodízio em SP
Blitz fiscaliza trânsito de caminhões
A proibição vale nas seguintes vias: Marginal do Rio Tietê, entre a Avenida Salim Farah Maluf e Marginal do Rio Pinheiros; Marginal Pinheiros, da Marginal Tietê até a Avenida dos Bandeirantes; e Avenida Professor Luís Ignácio de Anhaia Melo, entre o Viaduto Grande São Paulo e a Avenida Salim Farah Maluf. Vigora ainda em toda a extensão da Bandeirantes, Avenida Afonso D'Escragnole Taunay, Complexo Viário Maria Maluf, Avenida Presidente Tancredo Neves, Rua das Juntas Provisórias, Viaduto Grande São Paulo e Salim Farah Maluf.

Leia mais sobre: caminhões

    Leia tudo sobre: caminhão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG