SÃO PAULO ¿ Um aliado que pode alavancar a carreira de Lula, o filho do Brasil é uma conveniente promoção ¿ sem envolver dinheiro público ¿ articulada junto ao circuito exibidor e entidades sindicais. A partir de hoje (e do próximo dia 15 na rede UCI), as pessoas vinculadas a qualquer sindicato vão poder pagar meia-entrada em toda sala onde o filme estiver sendo exibido. Basta apresentar a carteirinha de filiação do sindicato e mais um documento original com foto na bilheteria.

Divulgação

Promoção para o filme foi articulada com salas de cinema e órgãos sindicais

A iniciativa partiu da distribuidora Downtown, da Europa Filmes ¿ que lançará o filme em DVD, a preços populares ¿ e da produtora LC Barreto. "É um procedimento comum criar promoções para determinados filmes, seguindo o perfil de cada um deles", conta o diretor da Downtown, Bruno Wainer. "Imaginamos que um público alvo claro é o trabalhador sindicalizado. Afinal, Lula é o maior líder sindical da história do Brasil e chegou à presidência através dessa militância."

O único compromisso assumido pelos órgãos sindicais é divulgar a promoção. Para Quintino Severo, secretário geral da Central Única dos Trabalhadores (CUT), a ação é válida por facilitar o acesso à cultura a uma parcela da população que nem sempre tem condições de desembolsar o valor do ingresso.

"Acho que a situação econômica de boa parte dos trabalhadores requer prioridades, e é a parte cultural que acaba relegada ao segundo plano. A medida que há um incentivo de participação, como a da entrada mais barata, as pessoas são motivadas a assistirem ao filme."

* Com reportagem de Gustavo de Lucca

Assista ao trailer de "Lula, o filho do Brasil":

Leia também:

Leia mais sobre: "Lula, o filho do Brasil"

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.