Sindicalistas pedem a Sarney apoio à aprovação da redução da jornada de trabalho

SINDICALISTAS - Sindicalistas de todo o Brasil reuniram-se nesta terça-feira com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), para pedir apoio à aprovação da proposta de emenda à Constituição (PEC) que reduz a jornada de trabalho semanal de 48 para 44 horas.

Agência Brasil |


A PEC está tramitando na Câmara, onde já foi aprovada por unanimidade pela comissão especial que analisou seu mérito. O senador Sarney prometeu aos sindicalistas se empenhar para que ela seja aprovada.

AE
Sarney chega ao Senado nesta terça-feira
Sarney chega ao Senado nesta terça-feira

O presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira (PDT-SP), que acompanhou os outros sindicalistas à audiência, disse que o Senado não pode ficar só tratando de denúncias. Precisa ver a vida real dos trabalhadores, assinalou. A questão das denúncias interessa uma parte, mas a sociedade quer coisa concreta como a redução da jornada de trabalho e outras matérias."

Segundo o deputado, a redução da jornada de trabalho criará 2 milhões de novos empregos no Brasil. Ele informou ainda que essa redução vai aumentar o custo das empresas em 1,9%. "É pouco pelo ganho que as empresas tiveram. A produtividade no Brasil de 2002 para cá aumentou em 27%.

Perguntado se a crise no Senado não vai prejudicar a votação da PEC, o deputado afirmou que não e lembrou que a aprovação de matérias importantes para a sociedade é uma forma de mostrar à opinião pública que a Casa trabalha. "Uma coisa são as denúncias, que têm que ser apuradas, outra coisa é que o Congresso Nacional tem que trabalhar e cuidar da vida real do país.

Paulo Pereira disse que a expectativa é de que a votação da PEC na Câmara ocorra em 15 dias para que ela possa ser encaminhada à votação do Senado. Segundo ele, a maioria dos líderes já assinou o requerimento para votação da proposta em regime de urgência.

Durante o encontro com Sarney, os sindicalistas também pediram apoio para a aprovação de outras matérias de interesse dos trabalhadores, como o fim do fator previdenciário e a regulamentação da profissão de comerciário, entre outros. Sarney se comprometeu a apoiar a aprovação das propostas.

Leia também


Leia mais sobre crise no Senado

    Leia tudo sobre: ato secretocltsarneysenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG