Silvia Buarque estreia peça que sua mãe, Marieta Severo, fez há 27 anos

iG acompanhou o ensaio geral da peça ¿Amadeus¿, que traz a partir desta sexta-feira (12) aos palcos do Rio ¿ com muita pompa e luxo ¿ a rixa ficcional entre Mozart e Salieri

Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro |

Confira também:
As fotos dos bastidores do ensaio da peça
Entrevista com a atriz Silvia Buarque
Que tipo de música agrada mais ao elenco

A reportagem do iG teve acesso ao ensaio geral da peça Amadeus, que estreia no teatro Carlos Gomes, centro do Rio, nesta sexta-feira (12). Com direção de Naum Alves de Souza, o espetáculo tem 19 atores no elenco. O trio central é protagonizado por Roberto Birindelli (que faz o invejoso Antonio Salieri), Gustavo Rodrigues (Mozart) e Silvia Buarque (Constanze, mulher de Mozart).

Renato Velasco
Silvia não quer comparações com sua mãe, que fez o mesmo papel há 27 anos

Birindelli foi escalado há menos de um mês para o papel que antes era de José de Abreu. O ator teria se desligado do projeto, após considerar que o texto original, do inglês Peter Shaffer, havia sido muito modificado. No começo de fevereiro, foi noticiado que Abreu gritou insultos a Naum na frente de toda a equipe, chegando a rasgar seu figurino. Birindelli prefere não polemizar a substituição. O que digo é que fiquei abraçado ao texto durante várias noites para decorá-lo logo. Passei o carnaval lendo e relendo tudo entre uma escola de samba e outra, conta.

Em um dos camarins, ele e Gustavo Rodrigues passam o texto com os pés para o alto, apoiados na estante, descansando enquanto bebem café. Você não faz ideia do quanto estou envolvido com esta história. Ouço só Mozart há, pelo menos, seis meses, conta Gustavo, que interpreta um compositor um tanto crianção - assim como na versão cinematográfica, de 1984. Ele tem esta inocência mesmo, isso fica claro nas risadas e tiradas escatológicas do texto, continua Gustavo, que teve aulas de regência e piano para subir ao palco com autoridade de maestro.

Renato Velasco

Silvia entra em cena imitando uma gata, para risos de todos

Birindelli defende o ponto de vista do seu personagem, rival de Mozart, comparando-o a astros pop. Imagina Prince nascendo e crescendo junto com Michael Jackson. Um ficaria mais apagado que o outro, não tem jeito. Salieri foi um monstro da música, mas teve o azar de ser contemporâneo de Mozart, diz.

Figurino inspirado

O que mais chama a atenção nos bastidores da peça, sobre a relação ficcional entre os compositores Salieri e Wolfgang Amadeus Mozart, não é a música, tema central da história. Mas sim o figurino. Tudo preparado com detalhes por Beth Filipecki, a responsável pela roupa de minisséries globais como Os Maias, O tempo e o vento, Capitu e indicada agora ao prêmio Shell pela peça As Meninas.

Renato Velasco

Silvia experimenta uma de suas várias vestimentas. São 10 no total

Espalhados por três camarins, são vários os cabideiros, vestidos longos e pesados pendurados em araras, babados em camisas, pedrarias nos sapatos, além de chapéus e perucas. A produção não mediu esforços para reproduzir as vestimentas no século 18, tempo em que o compositor austríaco começava a despertar inveja pelo seu sucesso na corte do rei Joseph II.

Silvia Buarque mostra os dez vestidos que precisa usar em cena. Vou querer um desses para mim quando a peça terminar, diz ela. Constanze, mulher de Mozart, segue a mesma linha um tanto infantil do personagem principal. Inclusive na voz, mais estridente. Estou tendo que fazer fono duas vezes por semana, porque sofro um desgaste grande nas cordas vocais, explica Silvia, que interpreta 27 anos depois o mesmo papel que foi feito por sua mãe, Marieta Severo, na primeira montagem da peça no Brasil.

Renato Velasco

A atriz faz a personagem Constanze, mulher de Mozart

No terceiro camarim, mais tumultuado, estão os outros atores, dividindo a bancada em frente a um espelho, para se maquiar. O ar condicionado fica no máximo. O clima é de descontração. Enquanto Miro Marques fala de seu personagem, o conde Von Strack, outro ator, Sergio Fonta, o interrompe. Coitado, tem dias que ele pensa que é a reencarnação de Paulo Autran, em outros ele acha que está no Scala de Milão..., brinca com o colega.

O ensaio começa por volta das 19 horas, quase quatro depois de terem chegado ao teatro. De uma das poltronas da plateia, o diretor Naum Alves de Souza ordena que as cortinas se abram. As luzes são acesas. Calma, Naum. Tem um ator que ficou trancado no banheiro. Dez minutos e ele já está voltando, alguém grita da coxia. Não acredito. Isso é inédito. Mate o pé na porta e traz ele para o palco, responde Naum, um tanto impaciente pelo atraso.

Renato Velasco

Gustavo Rodrigues interpretando Mozart: aulas de regência e de piano


Serviço :
Peça Amadeus
Teatro Carlos Gomes
Endereço: Praça Tiradentes, s/nº, RJ
Tel. (21) 2232-8701 / 2224-3602
Preço: R$ 20,00
Sexta e sábado, 20h; domingo, 18h

    Leia tudo sobre: fotos e galerias

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG