O Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino em São Paulo (Siesp) anunciou hoje que tomará medida semelhante à da Secretaria da Educação e vai recomendar que as 10 mil escolas da rede particular de ensino associadas à entidade também adiem o início das aulas. Em coletiva de imprensa na tarde de hoje, o secretário da Educação, Paulo Renato Souza, anunciou que postergará o retorno das aulas para 5,3 milhões de alunos da rede pública de ensino de 3 de agosto para o dia 17.

Após reunião com especialistas da área de Saúde, o presidente da entidade, Benjamin Ribeiro da Silva, decidiu remarcar o retorno dos alunos para o dia 17 de agosto, em decorrência dos novos casos de morte pelo vírus da gripe suína no Estado. Informações atualizadas da secretaria de Saúde informam que a nova gripe já vitimou 27 pessoas em São Paulo.

"Vamos recomendar às escolas. Já recebemos ofício do secretário da Saúde (Luiz Roberto Barradas) de que o melhor neste momento é prorrogar o início das aulas", disse Benjamin da Silva. O presidente da entidade explica que tem tomado todas as medidas para a prevenção da doença. Contudo, não pode obrigar as escolas a permanecerem fechadas antes do prazo estipulado pela Secretaria da Educação. "As unidades de ensino têm autonomia em acatar ou não a prorrogação", complementou.

A recomendação da Siesp inclui os ensinos infantil, fundamental e médio, cujo o retorno às aulas estava marcado para a próxima segunda-feira. Algumas unidades de ensino que haviam antecipado as férias por conta da doença reiniciaram as aulas na manhã de ontem. Essas escolas já foram recomendadas pelo sindicato a tomarem medidas preventivas para evitar o contágio da doença. "Distribuímos avisos que recomendam aos professores a higienização dos materiais escolares e a compra de produtos antissépticos", explica o presidente da entidade.

A decisão de postergar o início das aulas foi tomada depois de análise de recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) a respeito da propagação do vírus entre estudantes. Nota divulgada ontem pela instituição pede às autoridades sanitárias que fiquem atentas ao contágio do vírus da gripe suína nas unidades de ensino. De acordo com a organização, a doença está se espalhando rapidamente pelas escolas de países onde a gripe se encontra em estado avançado de transmissão. "A gripe atinge principalmente crianças em idade escolar. É mais fácil para o vírus se espalhar nas escolas", alertou Gregory Hartl, porta-voz da organização.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.