Shows marcam o encerramento oficial do Ano da França no Brasil

SÃO PAULO - O Ano da França no Brasil chega ao fim nesse final de semana. Depois de meses de exposições, shows, performances e espetáculos variados, a programação termina com uma série de apresentações musicais em São Paulo. No Sesc Pinheiros, músicos brasileiros como Arnaldo Antunes, Tom Zé e Naná Vasconcelos subirão ao palco com artistas franceses, no sábado e no domingo. No Parque Ibirapuera, uma festa vai reunir os DJs Marky e Yuksek e o grupo congolês Les Tambours de Brazza, no domingo.

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Os shows no Sesc Pinheiros fazem parte do projeto Station Brésil, que já reuniu artistas franceses e brasileiros em outras cidades do país durante o ano. No sábado, apresentam-se as duplas a Banda Isca de Polícia com o rapper francês Spleen e mais Arnaldo Antunes e Edgard Escandurra com o músico Louis Bertignac. No domingo, é a vez das duplas Tom Zé e Jeanne Cherhal e Naná Vasconcellos e Sandra Nkaké.

As cantoras Cherhal e Nkaké são duas das revelações mais interessantes da atual música francesa. A primeira foi revelada em 2005, depois de ganhar o prêmio de artista revelação do prestigiado Victoires de la Musique. Sua música mistura influências variadas, que vão de Björk a Sonic Youth. Já Sandra Nkaké nasceu em Camarões, mas vive na França. Dona de uma voz potente, faz um misto de jazz, soul e hip hop bem particular.

Os shows acontecem no sábado (14) e no domingo (15), no Sesc Pinheiros (Rua Paes Leme, 195, Pinheiros). No sábado, as apresentações começam às 21h. No domingo, às 18h. Os ingressos custam de R$ 7,50 a R$ 30 e podem ser comprados em qualquer unidade do Sesc.

Além dessas performances, o encerramento do Ano da França no Brasil também será festejado no Parque do Ibirapuera. A partir das 18h do domingo, acontece na marquise uma festa comandada pelo brasileiro DJ Marky e pelo francês DJ Yuksek, também com a presença do grupo camaronês Les Tambours de Brazza. A entrada é franca. A ideia é misturar referências bem diversas, como música tradicional africana e drum'n'bass.

Divulgação

"Farmácia em Vitebsk", obra de Marc Chagall de 1914

Apesar de encerrado oficialmente neste final de semana, o Ano da França no Brasil continua por mais algumas semanas. Algumas das principais atrações do calendário ainda estarão em cartaz até dezembro. É o caso da mostra do artista plástico Marc Chagall no Rio de Janeiro e da exposição do fotógrafo Henri Cartier Bresson em São Paulo.

"O Mundo Mágico de Marc Chagall ¿ O Sonho e a Vida", em cartaz no Museu Nacional de Belas Artes do Rio, é a maior exposição do artista russo naturalizado francês já organizada no Brasil. São quase 300 obras de diversos períodos, entre pinturas, guaches, gravuras e esculturas. Antes de vir ao Rio de Janeiro, a exposição havia passado por Belo Horizonte.

Divulgação/Magnum Photos

Cartier-Bresson: Paris, estação Saint Lazare

Já a obra de Henri Cartier-Bresson, considerado o maior fotógrafo do século 20, pode ser vista no Sesc Pinheiros. São 133 imagens registradas em 23 países durante mais de cinco décadas, entre 1926 e 1979. Além de registros cotidianos, há fotos de alguns dos mais importantes momentos do século, como a Segunda Guerra Mundial, a ascensão do comunismo na China e a morte de Mahatma Gandhi.

Serviço

O Mundo Mágico de Marc Chagall ¿ O Sonho e a Vida
Até 06 de dezembro de 2009
Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro
Avenida Rio Branco, 199, Cinelândia
Aberto de terça a sexta, das 10h às 18h; sábados e domingos, das 12h às 17h
Ingresso: R$ 5 (estudantes pagam R$ 2); entrada franca aos domingos

Henri Cartier-Bresson ¿ Fotógrafo
Até 20 de dezembro de 2009
Sesc Pinheiros
Rua Paes Leme, 195, Pinheiros
Terça a sexta, das 10h30 às 21h30; sábados, domingos e feriados, das 10h30 às 18h30
Entrada franca

    Leia tudo sobre: ano da frança no brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG