Show em SP celebra o centenário de Adoniran Barbosa

Pegue o trem das onze, prepare as brachola e torça por um dia de sol. Neste domingo, a partir das 11h, o Parque do Ibirapuera será o palco de uma homenagem aos 100 anos do mais paulistano dos sambistas: Adoniran Barbosa (1910-1982).

Agência Estado |

Sob a regência do maestro Amilson Godoy, artistas como Jair Rodrigues, Demônios da Garoa, o grupo Língua de Trapo, Eduardo Gudin, Arnaldo Antunes, Roger (Ultraje a Rigor), Vânia Bastos e Patty Ascher irão interpretar clássicos do compositor.

No evento, cada interprete irá cantar duas músicas de Adoniran. Os Demônios, por exemplo, irão defender dois clássicos absolutos do cancioneiro do artista: "Trem das Onze" e "Saudosa Maloca". "Esse é o ano do Adoniran e dos Demônios. Todas as homenagens são poucas para esse ícone da música. Gente de todas as idades e gostos musicais admira o trabalho dele", diz Serginho Rosa, integrante dos Demônios da Garoa.

O músico Eduardo Gudin, que, além de parceiro, foi produtor de Adoniran, vai interpretar aquela que foi a última canção composta pelo rei do Bixiga: "Armistício". Já o sambista Jair Rodrigues vai interpretar uma das canções mais tocantes (e pouco comuns) do repertório do Adoniran, "Bom Dia, Tristeza", feita numa inusitada e brilhante parceria entre ele e Vinícius de Moraes. O grupo Língua de Trapo vai cantar "As Mariposa" e "Um Samba do Bixiga".

O coordenador de difusão e produção cultural da Secretaria do Estado, André Sturm, está animado com a possibilidade de utilização do Parque do Ibirapuera como local do show - que vai acontecer na plateia externa (voltada para o parque) do Auditório do Ibirapuera. "Não é possível prever quantas pessoas estarão presentes. Existem muitas variáveis, como o tempo, por exemplo. Mas acho que o parque vai estar bonito e cheio de gente querendo ouvir Adoniran. Tem tudo para ser um evento marcante", destaca Sturm. Adoniran Barbosa era o nome artístico de João Rubinato, nascido em Valinhos, no dia 6 de agosto de 1910. Poeta, boêmio e a cara de São Paulo, ele morreu em 23 de novembro de 1982, de parada cardíaca. As informações são do Jornal da Tarde.

Homenagem a Adoniran Barbosa . Domingo, a partir das 11h. Auditório do Ibirapuera (palco externo). Parque do Ibirapuera, portão 2 (Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº). Grátis.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG