Na primeira vez que esteve no Brasil, em 2007, os americanos do The Killers enfrentaram um atraso de quatro horas e um som que parecia saído de um radinho de pilha no Tim Festival. Anteontem, não houve atraso, o som estava nítido e o público de 12 mil pessoas, empolgado.

A banda do vocalista Brandon Flowers tocou seus maiores sucessos debaixo de chuva na Chácara do Jockey, em São Paulo.

A apresentação marcada para às 20h começou às 20h25 com o sucesso "Human", do último álbum "Day & Age". No palco, Brandon mostrava que nasceu para comandar multidões. Rege, canta e faz seu mise-en-scène. Para aquecer o público encharcado, o grupo exibiu no início as ótimas e energéticas "Somebody Told Me", "For Reasons Unknow" e "Bones".

O palco trazia palmeiras, um telão gigantesco e a letra K na frente dos músicos. Fogos e papel picado em "All These Things That I've Done" levaram a plateia ao delírio - pouco antes da primeira saída da banda do palco, quando a chuva dava um tempo.

Antes, em um rompante de U2, Brandon evoca Elvis e canta "Can't Help Falling in Love" (música que Bono havia cantado na turnê Zoo TV, de 1994). "Mr. Brightside", do primeiro álbum ("Hot Fuss", de 2004), faz todo mundo levantar o braço e pular. No bis, o grupo canta "Jenny Was a Friend of Mine" e "When You Were Young" (do CD "Sam’s Town", de 2006). Com um pouco mais de uma hora e meia de apresentação e 18 músicas cravadas, o The Killers provou mais uma vez que seu lugar é em cima do palco. As informações são do Jornal da Tarde.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.