SÃO PAULO ¿ Em 1999, o grupo Los Hermanos tomou as rádios do País com os versos da música Anna Júlia: Sei que eu não sou quem você sempre sonhou/ Mas vou reconquistar o seu amor todo pra mim... Após a euforia inicial, as letras de Marcelo Camelo e Rodrigo Amarante evoluíram e o público mudou. O grupo caiu no gosto da crítica e nos shows, lotados, um coro uníssono.

De lá pra cá, foram mais três discos ¿ "Bloco do Eu Sozinho"; "Ventura" e "Quatro" ¿ e um DVD ("Cine Íris"). Até que veio a surpresa: em abril do ano passado anunciaram uma "pausa indeterminada". A despedida: 9 de junho de 2007, na Fundição Progresso, no Rio. E está documentada no CD e DVD "Multishow Registro - Los Hermanos" (SonyBMG), cujo material será exibido hoje no Multishow, às 22h15, e chega às lojas amanhã.

Na platéia, 5 mil pessoas lotam a casa. Camelo, Amarante, Rodrigo Barba e Bruno Medina sobem ao palco aos gritos de "Uh, Los Hermanos" e começam a enxurrada de sucessos com "Dois Barcos", "Primeiro Andar" e "O Vento" (todas do álbum "Quatro"). E o que se vê adiante das quase duas horas de show é um panorama da carreira. "Vamos comemorar estes dez anos de união. Obrigado", se despede Camelo.

O clima na platéia é saudosista, com direito a cartazes e serpentinas. Efusivo, o Los Hermanos encerra o show com dois momentos comoventes. Lembram "Anna Júlia" e, na penúltima das 26 faixas do DVD, Camelo se dá conta da decisão: "É o fim, é o fim...", ao cantar "Todo Carnaval Tem Seu Fim". Os extras, infelizmente, não têm making of ou entrevistas. Trazem mais cinco canções registradas no dia anterior ¿ entre elas, "De Onde Vem a Calma".

Leia mais sobre: Los Hermanos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.