A bermuda e suas variações, como short e macaquinho, continuam nas passarelas, e agora ainda mais forte do que no verão passado. No Fashion Rio, ontem, surgiram multicoloridos, cheios de bordados, na coleção da Apoena; listrados na Cantão e com ares de férias na Riviera francesa no desfile de Victor Dzenk.

Enquanto as duas primeiras marcas apostaram no conforto das peças, Victor mostrou uma alfaiataria elegante.

Os bordados marcaram muito o desfile da Apoena, que abriu o terceiro dia do evento. Listras e bolinhas ganharam os bordados, feitos por artesãs da periferia de Brasília, homenagem da estilista Kátia Ferreira à sua cidade. O verão da Cantão chegou de navio. Numa passarela com mastros, velas e escadas de corda, tops como Isabeli Fontana e Ana Claudia Michels desfilaram a coleção assinada por Yamê Reis. Para acabar com a hegemonia dos vestidos, macacão de voile de seda estampado. Os jeans vieram em azul-escuro.

No Ano da França no Brasil, o mineiro Victor Dzenk sugere um passeio à beira-mar na Riviera francesa, com vestidos vaporosos, longos ou curtos. Victor propõe ainda alfaiataria branca, em xantungue e stretch, com listras. Carlos Tufvesson fez o desfile que mais atrasou até agora - 45 minutos. A apresentação não começou até a chegada do governador Sérgio Cabral e do prefeito Eduardo Paes. Foram vaiados.

Tufvesson fez uma moda verão em homenagem ao amor, com vestidos curtinhos. O short também foi lembrado. Luiza Bonadiman fez uma moda praia conceitual demais - maiôs de manga comprida, biquínis com gola alta e franjas. A Coven inspirou-se na mulher dos anos 20. Vestidos e saias estão na altura do joelho ou um pouco abaixo, contrastando com a tendência de outras coleções que apostam no mini. As formas são leves, mas sem muito volume. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.