WASHINGTON ¿ A cantora colombiana Shakira confessou hoje que gostaria de ser mãe, mas que, por enquanto, seu último álbum, Oral Fixation (2007), com o qual fez uma longa turnê de promoção, toma todo o seu tempo. Estou suficientemente grávida do meu último disco, brincou a artista.

Shakira concedeu uma entrevista coletiva para anunciar um projeto de "Atendimento à Primeira Infância" na América Latina, que será apresentado aos 22 chefes de Estado e de Governo que participarão da 18ª Cúpula Ibero-Americana, realizada esta semana em El Salvador.

A cantora, muito ligada a crianças, através da Fundación América Latina en Acción Solidaria (ALAS), da qual participam artistas, foi perguntada pela imprensa sobre se gostaria de ter filhos. Com um grande sorriso, respondeu "sim, mas agora não". "Estou planejando minha próxima etapa na vida e gostaria de ter filhos", afirmou.

Sobre o projeto que apresentará na Cúpula Ibero-Americana, a cantora pedirá aos líderes que "cumpram seu compromisso de colocar o desenvolvimento infantil precoce no topo de suas prioridades" políticas.

"Este é um momento histórico: Pela primeira vez vamos nos reunir com 20 presidentes latino-americanos para discutir o desenvolvimento infantil precoce, uma das questões fundamentais para a região", afirmou hoje Shakira durante uma teleconferência organizada pela Universidade de Colúmbia, em Nova York.

A estrela explicou que o objetivo da ALAS é conseguir que as crianças de zero a seis anos da região tenham educação, alimentação e atendimento médico que lhes permita desenvolver suas mentes e corpos adequadamente, para possam, no futuro, explorar todo o seu potencial.

"A situação na América Latina é crítica: 35 milhões de crianças vivem abaixo da linha de pobreza, com pouco ou zero acesso à educação", explicou a cantora, que também é embaixadora de boa vontade do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Por isso, defendeu que os governantes têm que priorizar o atendimento básico recebido por essas crianças e os cidadãos devem exigir que façam isso.

Shakira defendeu que, a cada ano, seria possível utilizar a reunião ibero-americana para fazer um acompanhamento das conquistas obtidas e conhecer as melhores práticas de cada país, para acelerar os avanços.

"A meus fãs, pediria que exijam também de seus Governos que mantenham seus compromissos e se unam ao movimento através do site", acrescentou, e lembrou que sua iniciativa não se dedica a arrecadar, mas a "ser a voz das crianças que não a têm".

"Fui criada no mundo em desenvolvimento e vi que, quando uma criança nasce pobre, morre pobre. No entanto, aprendi também que, através da educação e da nutrição, podemos romper o círculo vicioso da pobreza", declarou a artista.

Leia mais sobre: Shakira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.