Sete de setembro perde estigma militar para virar festa popular

Vídeo mostra evolução das paradas desde Getúlio Vargas, passando pela ditadura militar, até os anos mais recentes

Danilo Fariello, iG Brasília |

O desfile de 7 de setembro em Brasília neste ano é um evento pretensamente popular. O governo espera que 35 mil pessoas compareçam à Esplanada dos Ministérios para assistir principalmente a shows e atividades culturais, como apresentações da Banda da Ação Social Criança Feliz do colégio Notre Dame e da escola de samba Associação Recreativa Unidos do Cruzeiro (Aruc), ambos de Brasília.

Veja abaixo vídeo sobre como a festa da Independência se transformou ao longo das décadas:


A intenção do governo nos últimos anos é justamente transformar o desfile, que tem origem militar, em uma manifestação cada vez mais popular. Neste ano, por exemplo, o desfile cívico-escolar, vai anteceder a marcha dos militares.

No governo brasileiro, é clara a intenção de caminhar, ano após ano, em direção a uma cerimônia que se assemelhe mais ao 4 de julho americano, data da independência dos EUA celebrada pelas pessoas nas ruas, como festa nacional.

O tema do desfile neste ano é “Construir um Brasil que avança está em nossa mãos”. Segundo a Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom), o tema foi escolhido justamente para estimular o sentimento de orgulho e satisfação em relação às realizações e potencialidades do Brasil, com o cidadão e a cidadã brasileiros como protagonistas da construção do País.

Nos últimos anos, apresentações de frevo, capoeira e até de bonecos gigantes estiveram entre as manifestações. No ano passado, conforme mostrou o iG , a banda dos Dragões da Independência já manifestara seu caráter popular, com músicas de autores nacionais, como Chitãozinho e Xororó, e hits internacionais, como Lady Gaga e Shakira.

    Leia tudo sobre: 7 de setembrodia da independênciatvigvídeobrasília

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG