Sessão da CPMI é suspensa para reunião entre governistas e oposição

BRASÍLIA - A sessão de desta terça-feira da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Cartões Corporativos foi suspensa por alguns minutos para que governistas e oposicionistas tentem chegar a um acordo sobre a aprovação de requerimentos de convocação de autoridades e de quebra de sigilos.

Redação com agências |

Parlamentares da base aliada ao governo, que são maioria na comissão, acenam com a possibilidade de deixar aprovar requerimento permitindo à CPI compartilhar com o Tribunal de Contas da União (TCU) informações sigilosas em poder do tribunal sobre cartões corporativos.

O acordo permitiria também a convocação do reitor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Ulysses Fagundes Neto, acusado de utilizar cartão corporativo para gastos irregulares em valores elevados.

A presidente da CPMI, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), avisou que, se nada de importante for aprovado na CPI, a comissão não teria motivo para continuar funcionando e promovendo audiências. Ela disse que daria um prazo de 30 dias para o relator da CPMI, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), apresentar seu relatório sobre os trabalhos. Oficialmente, a apresentação do relatório está prevista para 8 de junho próximo.

Relatório de Luiz Sérgio

O relator da CPMI dos Cartões Corporativos, deputado Luiz Sérgio (PT-SP), defendeu que os saques com cartões devem ser restritos a poucos servidores. De acordo ele, tal recomendação constará em seu relatório final. Além disso, ele também vai pedir que o Banco do Brasil crie uma espécie de filtro para as compras, proibindo, por exemplo, gastos em free shops. Veja mais

(com informações de Severino Motta e Agência Estado)

Leia mais sobre:

Leia mais sobre: cartões corporativos

    Leia tudo sobre: cpi dos cartões

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG