Servidores pedem impeachment de diretoria do Sindilegis

Em Assembleia Geral do Sindicato dos Servidores do Legislativo (Sindilegis), cerca de 500 participantes pediram o impeachment de toda a diretoria da entidade. Eles foram acusados de, junto com o presidente do Sindicato, Magno Mello, tentarem migrar o atual plano de saúde dos funcionários, chamado de Pró-Saúde e gerido pela Caixa, para a Amil.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |


O evento foi marcado por fortes críticas à atual gestão, princípios de confrontos físicos e muita gritaria. Após aprovar uma "moção de renúncia" contra o presidente Mello, os participantes também aprovaram uma resolução impedindo qualquer tipo de mudança no Pró-Saúde.

Quando a proposta de impeachment para a diretoria foi apresentada, a direção da entidade manobrou e tentou encerrar a assembleia. Apesar disso, os presentes aprovaram a proposta, que foi considerada fora do estatuto pela diretoria e invalidada.

Mello


O presidente do Sindicato, Magno Mello, que havia comunicado a imprensa sobre sua renúncia, voltou atrás e decidiu que vai permanecer no cargo e tentar convencer os servidores de que não agiu de má-fé. A declaração foi dada após ele descobrir que os servidores haviam aprovado um moção para sua renúncia.

Leia mais sobre: plano de saúde

    Leia tudo sobre: plano de saúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG