Servidores do INSS do Rio de Janeiro decidem manter greve por tempo indeterminado

Rio de Janeiro - Os servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Rio de Janeiro resolveram manter, por tempo indeterminado, a greve iniciada no último dia 16. A decisão foi tomada em assembleia realizada ontem (26), pelo Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Previdência e Trabalho no Estado do Rio (Sindsprev/RJ).

Agência Brasil |

A greve, que é nacional, tem por objetivo reivindicar manutenção da jornada de 30 horas, sem redução salarial, incorporação de gratificações, realização de concursos públicos e melhores condições de trabalho e de atendimento ao público.

Segundo o sindicato fluminense, cerca de 70% dos servidores da Previdência no estado do Rio já aderiram à paralisação, que provocou o fechamento de cerca de 40 agências e gerências regionais na capital, na Região Metropolitana e no interior do Rio.

Os servidores marcaram ainda um ato público, na próxima quarta-feira (1º) no Centro da cidade do Rio, em protesto contra o governo que, segundo o sindicato, não está negociando com a categoria.

Em nota divulgada à imprensa, o Ministério da Previdência Social cita decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que considerou a greve ilegal, já que teria sido iniciada sem uma negociação prévia frustrada com o INSS. Antes mesmo do início da mobilização, o STJ considerou que a greve não poderia acontecer, sob pena de multa diária de R$ 100 mil para a Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Previdência e Assistência Social (Fenasps).

Leia mais sobre INSS

    Leia tudo sobre: greveinssservidores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG