de gripe A H1N1 pela OMS) no Congresso. Segundo a assessoria de imprensa da Câmara, uma funcionária que trabalha em sala próxima ao presidente da Casa, Michel Temer (PMDB-SP), e que esteve na Argentina, está de licença médica e só deve voltar ao trabalho na próxima semana." / gripe suína após viagem para a Argentina - Brasil - iG" / de gripe A H1N1 pela OMS) no Congresso. Segundo a assessoria de imprensa da Câmara, uma funcionária que trabalha em sala próxima ao presidente da Casa, Michel Temer (PMDB-SP), e que esteve na Argentina, está de licença médica e só deve voltar ao trabalho na próxima semana." /

Servidora da Câmara dos Deputados contrai gripe suína após viagem para a Argentina

BRASÍLIA - Foi diagnosticado o primeiro caso de gripe suína (rebatizada http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/04/30/oms+decide+mudar+nome+da+gripe+suina+5867916.html target=_topde gripe A H1N1 pela OMS) no Congresso. Segundo a assessoria de imprensa da Câmara, uma funcionária que trabalha em sala próxima ao presidente da Casa, Michel Temer (PMDB-SP), e que esteve na Argentina, está de licença médica e só deve voltar ao trabalho na próxima semana.

Severino Motta, repórter em Brasília |

Na segunda-feira da semana passada, a funcionária esteve na Câmara se sentindo mal e procurou o médico. Ao fazer exames, foi constatado o vírus H1N1. De acordo com a assessoria da presidência da Casa, não há mais risco de contaminação, mas a funcionária permanecerá mais essa semana em sua residência.

O Ministério da Saúde informou nesta terça que foram confirmados 55 novos casos da gripe suína no País, elevando para 680 o total de infectados. Dos novos pacientes, 45 foram registrados no Rio Grande do Sul, 3 no Piauí, 3 em Santa Catarina, 1 em Alagoas, 1 no Distrito Federal, 1 no Paraná e 1 em Sergipe.

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, com apoio do Ministério da Saúde, acompanha a evolução do quadro clínico de um paciente, infectado no exterior, que está internado.

Outros 933 casos já foram descartados. O Estado de São Paulo ainda acumula o maior número de casos da doença (308), seguido do Rio Grande do Sul (85), Minas Gerais (67), Rio de Janeiro (66) e Santa Catarina (49).

Morte de americano

A suspeita de que a morte de um cidadão norte-americano no município de Montenegro, no estado do Rio Grande do Sul, teria sido causada pela "gripe suína" foi descartada nesta terça-feira pela Secretaria de Saúde do estado. Os resultados dos exames revelam que a causa da morte foi bacteriana.

De acordo com nota divulgada pelo ministério da Saúde, o norte-americano que faleceu no último dia 26 teria chegado no Rio Grande do Sul no dia 21 de junho. Três dias depois, ele foi internado no hospital do município de Montenegro, quando entrou em estado de coma.

Reforço em São Paulo

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo informou que terá, a partir desta semana, o reforço dos hospitais da rede particular de São Paulo para o atendimento de casos suspeitos da "gripe suína". Ao todo, 13 unidades privadas de saúde foram acionadas para se juntar aos 18 hospitais públicos que já atendem casos suspeitos da doença.

Foram acionados os hospitais Sírio Libanês, Albert Einstein, São Luiz (que possui três unidades na capital), Santa Catarina, Oswaldo Cruz, Beneficência Portuguesa, Samaritano, Cema, Santa Paula, 9 de Julho e P.S. Sabará. Também estão sendo mobilizados os laboratórios Fleury e Dasa para a realização das coletas nos hospitais privados.

AE

Hospitais particulares também atenderão casos suspeitos de "gripe suína"

Segundo a secretaria, com a ampliação do número de hospitais será possível descentralizar o atendimento das pessoas que possuem planos de saúde que buscarem atendimento médico com sintomas da nova gripe. As novas unidades também ficarão responsáveis pela coleta de amostras de secreções nasais e da garganta dos pacientes e por encaminhar o material para exames no Instituto Adolfo Lutz.

Muitas pessoas que têm procurado atualmente a rede pública com sintomas de gripe possuem plano de saúde ou são usuárias de hospitais particulares. Por isso essa parceria tem como objetivo ampliar a referência e descentralizar a assistência, para que os pacientes possam ser atendidos em unidades para onde já estão acostumadas a ir em caso de problemas de saúde, afirma o secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata.

A secretaria deve encaminhar, aos novos hospitais participantes da rede, medicamentos antivirais para o tratamento dos casos de "gripe suína". As unidades seguirão o mesmo protocolo indicado pelo Ministério da Saúde para definir a internação ou o tratamento domiciliar dos pacientes. A expectativa é que até o final desta semana os novos hospitais já iniciem o atendimento de casos suspeitos e a coleta de materiais.

Falta de agentes nas fronteiras; assista ao vídeo:

Entenda a "gripe suína":

Veja também:

Leia mais sobre: gripe suína

    Leia tudo sobre: brasiliacâmara dos deputadosgripe suína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG