Serviços de call center deverão atender clientes em no máximo um minuto

BRASÍLIA - A partir do dia 1º de dezembro, os Serviços de Atendimento ao Consumidor (SAC) dos setores de energia elétrica, telefonia, televisão por assinatura, planos de saúde, aviação civil, empresas de ônibus, bancos e cartões de crédito terão de atender seus clientes em no máximo um minuto. A portaria que regulamenta o setor foi assinada nesta segunda-feira pelo ministro da Justiça, Tarso Genro.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Se ela for cumprida rigorosamente, aquele tempo de angústia de quatro a seis minutos, vai acabar. E as empresas que não acabarem com isso serão punidas. É uma grande vitória. É uma conquista revolucionária do consumidor brasileiro, ressaltou Tarso.

Nos casos de empresas bancárias e de cartões de crédito, o tempo de espera é menor, 45 segundos. Segundas-feiras e no 5º dia útil do mês, quando a maioria dos trabalhadores recebe o salário, o tempo máximo para atendimento dos call centers de serviços financeiros será de um minuto e meio.

Quem não se sentir satisfeito com o atendimento poderá reclamar ao Sistema Nacional de Defesa do Consumidor. Empresas que descumprirem as regras serão sujeitas a multa de R$ 200 a R$ 3 milhões.

A portaria, elaborada pela Comissão de redação do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, também regulamenta o horário de funcionamento dos SACs, que deverão a partir do dia 1º de dezembro, funcionar sempre que o serviço oferecido esteja ativo.

Em casos de reclamação ou pedido de cancelamento do serviço, fica proibida a transferência da ligação para outro atendente. Reclamações deverão ser revolvidas em até cinco dias úteis e o acesso ao atendente não poderá ser condicionado ao fornecimento prévio dos dados cadastrais.

Leia mais sobre: call center

    Leia tudo sobre: call center

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG