Serra volta a prometer pacote contra violência na escola

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse hoje que anunciará ainda este mês um pacote de combate à violência nas escolas. O programa vai estar neste mês todo formalizado, afirmou o governador, no Palácio dos Bandeirantes.

Agência Estado |

Hoje, uma revolta por causa da apreensão de dois alunos por policiais militares na Escola Estadual Professor Antônio Firmino de Proença, na Mooca, bairro zona leste da capital paulista, deixou danificado o prédio onde Serra estudou por quatro anos.

O pacote já havia sido prometido para fevereiro pela então secretária de Educação, Maria Helena Guimarães. Até hoje, no entanto, nada foi apresentado. Em entrevista coletiva em 20 de janeiro, Maria Helena disse que o plano estava "basicamente pronto" e seria anunciado "nos próximos 15 dias".

O problema da violência nas escolas paulistas ganhou destaque em novembro, quando uma briga generalizada entre alunos da Escola Estadual Amadeu Amaral, no Belém, também na zona leste, terminou com uma jovem ferida e o prédio depredado. Estudantes jogaram carteiras pelas janelas, quebraram vidros e arrombaram portas. Para fugir da confusão, professores se trancaram em uma sala. A desordem só teve fim com a chegada da Polícia Militar (PM).

O governador tratou da confusão de hoje na Mooca como "um evento de violência". "Foi uma confusão aprontada por dois alunos fora de horário. A diretora chamou a polícia e aí deu problema", disse. "Não é um fenômeno que está se agravando no Estado de São Paulo. Estamos trabalhando para diminuir isso."

Serra cursou dois anos de ginásio, em 1955 e 1956, e dois anos de Científico, em 1958 a 1959, na escola Antônio Firmino. Em 1957, ele estudou em outro colégio. "No meu tempo não tinha isso, não", contou o governador. Questionado se ficara chateado ao ver o lugar onde estudou depredado, o governador respondeu: "Eu ficaria chateado se fosse em qualquer escola. Não precisa ter sido na em que eu estudei."

Plano

Serra evitou detalhar o pacote de combate à violência na escola. Em janeiro, a ex-secretária Maria Helena disse que o plano previa a criação de um setor de prevenção à violência dentro da estrutura da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), entidade responsável por executar as políticas educacionais do Estado.

Professores e diretores seriam treinados para ajudar na prevenção de casos de violência nas escolas. As instituições de ensino passariam a contar ainda com um programa para a mediação de conflitos e a Ronda Escolar seria intensificada, com a ajuda de um capitão da PM designado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG