Serra visita linha do metrô ainda sem data para abertura

O governador paulista, José Serra, presidenciável do PSDB, inspecionou hoje as obras da Linha 4 (Amarela) do Metrô de São Paulo. Durante uma hora e meia, o tucano viajou do Pátio da Vila Sônia até a Estação Paulista e, ao longo do trajeto, acenou, cumprimentou e tirou fotos com populares na Estação Consolação, da Linha Verde, e na Avenida Paulista.

Agência Estado |

A Linha Amarela não tem data para ser aberta à população. Segundo o Metrô, isso só acontecerá quando os padrões de segurança forem alcançados. "Poderia já hoje estar abrindo (estas estações) para funcionar. Mas é essencial que a segurança seja 100%. Não faríamos uma antecipação, sacrificando o controle rigorosíssimo de segurança", afirmou o governador em um breve discurso para jornalistas e funcionários do Metrô, na Estação Paulista.

Questionado se a entrega da Linha Amarela estava dentro do cronograma previsto, o tucano respondeu que "os prazos são sujeitos à margem de erros". De acordo com o governador, até o fim de 2010, o trecho entre a Vila Sônia e a Luz estará completo.

Na Estação Paulista, fechada ao público, Serra assistiu a uma apresentação de bailarinos e de estagiários do Metrô ao som do jingle do Plano de Expansão do Metrô, veiculado há pouco tempo na TV. Sorridente, o presidenciável não resistiu e arriscou alguns passos, em compasso com os dançarinos.

No trajeto a pé por esteiras rolantes, entre a Estação Paulista e a Consolação, um conjunto musical tocou a marchinha de carnaval "Ai, ai, ai, ai/ Está chegando a hora/ O dia já vem raiando meu bem/ Eu tenho de ir embora." Nas laterais das esteiras rolantes, pelo menos 100 funcionários do Metrô seguravam placas com fotos e dizeres sobre as realizações do governo Serra, como a inauguração de estações e de bicicletários próximos aos metrôs.

O tucano estava acompanhando do vice-governador do Estado, Alberto Goldman (PSDB), que assume São Paulo com a saída de Serra, e do virtual candidato do PSDB ao governo do Estado, Geraldo Alckmin. Indagado sobre o que mais gostaria de ter feito em sua gestão, o tucano respondeu: "Queria ter feito mais de tudo, mas acho que fizemos bastante. Minha gestão vai até o final deste ano. Até lá, muita coisa mais vai ficar pronta."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG